Fátima Bernardes está vivendo um autêntico pesadelo desde que realizou uma enquete na semana passada sobre um policial e um traficante. Tal como informa o site “Gente”, em um vídeo, dois policiais militares sugeriram um estupro a Fátima Bernardes para que ela pudesse escolher entre ela ou então o estuprador. Apesar de garantirem que não querem que tal aconteça, a verdade é que os dois homens revelaram que “pode acontecer”, pedindo para que a apresentadora da Globo responda à sua sugestão.

Atacada e humilhada por milhares de pessoas, incluindo Bolsonaro, Fátima Bernardes quis ao máximo ignorar tudo o que está acontecendo, mas decidiu explicar a sua posição na enquete apresentada no programa “Encontro”, garantindo hoje, dia 22 de novembro, que escolheria sempre salvar o policial.

Publicidade
Publicidade

Porém, antes mesmo de esclarecer o seu posicionamento na #Polêmica, a ex-esposa de William Bonner foi alvo de insultos e até sugestões chocantes.

Foi precisamente isso que aconteceu com um vídeo compartilhado nas redes sociais, contando com mais de 30 mil acessos até agora, envolvendo dois policiais que, revoltados pela enquete, decidiram colocar a hipótese de Fátima Bernardes ser estuprada. Os autores do vídeo garantem que essa hipótese é uma resposta à polêmica criada pelo programa da apresentadora, questionando se ela, sendo a vítima, também continuaria optando por assistir primeiro o autor do crime horrendo.

Nas redes sociais, muitos brasileiros, até mesmo aqueles que não gostaram da enquete, ficaram chocados com a sugestão e o exemplo que foram escolhidos pelos dois policiais, principalmente quando eles garantiram que “pode acontecer” que Fátima seja estuprada.

Publicidade

Ao vivo na Globo, Fátima Bernardes não falou diretamente sobre esse vídeo, mas revelou que muitas pessoas até usaram os seus filhos para a atacarem nas redes sociais. Para que toda a polêmica e especulação possa terminar, de uma vez por todas, a experiente apresentadora assegurou que no “Encontro” os policiais sempre vão ser apoiados e seu trabalho respeitado. #Casos de polícia #Rede Globo