O #avião que transportava a jogadores do clube da #Chapecoense do futebol brasileiro caiu nesta noite, quando ele se aproximava do aeroporto Jose Maria Cordova, na cidade colombiana de Medellín. O avião tinha de ter chegado às 21:33 no local mas perdeu contato com a torre de controle durante o vôo, próximo da cidade de La Ceja. Nele estavam 81 passageiros, os jogadores do clube e jornalista, e ainda nove tripulantes. Seis pessoas foram resgatados com vida, dois membros da tripulação, três jogadores e um jornalista, embora posteriormente um deles faleceu.

Federico Gutiérrez, prefeito de Medellín, disse publicamente que é uma #Tragédia o que aconteceu e que tem toda a colaboração disponível para lidar com o acidente.

Publicidade
Publicidade

As autoridades pediram à comunidade "abster-se de ir para o local do acidente para evitar o colapso, as agências de emergência precisam trabalhar juntas". De acordo com autoridades colombianas, entre os destroços foram encontrados 76 cadáveres e 6 sobreviventes

O avião acidentado pertence à empresa boliviana Lamia RJ85 e não foi a primeira vez que transportou equipes de futebol sul-americanas. Entre os transportados está a equipe Argentina, que viajou no mesmo avião recentemente, seu destino era Brasil e veio para disputar qualificação para a Copa do Mundo na Rússia, 2018.

O clube de futebol brasileiro que estava indo para a cidade de Medellín para disputar a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional não chegou ao seu destino por conta do acidente e a partida foi cancelada. A diretiva irá esperar por uma mais informação detalhada a serem reveladas sobre a queda do avião em que viajava equipe.

Publicidade

O vice-presidente Ivan Tozzo disse que "A Associação Chapecoense reserva-se ao direito de aguardar o anúncio oficial das autoridades da aviação da Colômbia, para emitir qualquer declaração oficial sobre o acidente." A Confederação de Futebol da América do Sul (Conmebol) anunciou a suspensão de todas as suas atividades. O presidente Conmebol, Alejandro Dominguez, viajou à Medellín para monitorar o desenvolvimento dos acontecimentos.