Márcia Fernandes é hoje a sensitiva mais conhecida do Brasil. A mãe Diná da nova geração não apareceu hoje na televisão. Ela começou sua carreira televisiva conversando com os mortos, através da chamada psicofonia, no 'Programa do Ratinho'. Aos 64 anos, a paranormal previu 2016 como a data de sua própria morte, mas a vidente acabou errando. Ao ser lembrada da falha, ela amenizou, dizendo que ela deve estar fazendo algo muito bom e que, talvez por isso, tenha recebido um presente dos céus. 

Tantas previsões e o erro fez com que ela ganhasse uma surpresa desagradável na web. Márcia virou motivo de chacota e memes. No entanto, a sensitiva, mesmo não tendo previsto a zoeira sem limites, acabou tirando de letra esse assunto. Em entrevista ao UOL, Fernandes garante que isso a aproximou dos jovens.

Publicidade
Publicidade

De fato, algumas páginas fazem com que o público da paranormal, que hoje pode ser vista constantemente no programa 'A Tarde é Sua', de Sônia Abrão, renove-se. Conselhos sincerões dela viram fotos compartilhadas. Seus vídeos também fazem um enorme sucesso. 

Questionada sobre o porque do seu sucesso, a sensitiva explicou que trata todo mundo com respeito, especialmente os #Famosos. Ela garante não gostar tanto de fazer previsões sobre celebridades, especialmente quando essas trazem notícias ruins do futuro. Márcia então revela que ameniza muita coisa. "Eu não vou falar para pessoa que ela vai morrer, né? Pra quê?", questiona a sensitiva na entrevista publicada nesta quinta-feira, 03. Ao invés de falar isso, Fernandes manda a pessoa se cuidar, diz que tem um olho gordo ou uma inveja daquelas atrás do famoso. 

O fato de evitar contar que alguém possa morrer pode estar por trás dela mesmo estar fadada à morte neste 2016.

Publicidade

Fernandes agora acredita que ganhou um tempinho de dez anos em sua vida e que somente irá deixar o mundo dos vivos aos 74 anos, ou seja, em 2026. Não será de espantar que essa previsão mude novamente. Isso fará com que muitos fãs dela fiquem muito felizes, já que se divertem bastante. #Religião