Erika Canela, uma paulista de 25 anos, foi eleita Miss Bumbum 2016, na última quarta-feira (9) e disse que ficou surpresa por conseguir levar o título, concorrendo com tantas mulheres lindas. Mesmo tendo ficado entre as finalistas, Erika não acreditou na vitória por ser negra, mas, como nada é impossível, ela venceu a 6ª edição do concurso Miss Bumbum 2016. Ela confessa sua felicidade com o novo título por estar representando a #Beleza de sua raça, que apesar do preconceito também é referência das brasileiras no exterior.

Erika é paulista do interior de Presidente Prudente, São Paulo, mas, no #CONCURSO, representava a Bahia e se diz muito honrada com a vitória.

Publicidade
Publicidade

"Era um sonho meu", revela a nova miss bumbum, contente com a recepção que recebeu da família. Até o pai da morena que é meio antiquado estava comemorando ao lado da filha. As medidas da moça são bem adequadas ao título, ela tem 1,73 cm de altura, pesa 72 kg e 107 cm de quadril, logo se percebe o porquê da vitória tão aclamada. Erika acrescenta que o bumbum é natural, todo dela.

Porém, as coisas nem sempre foram assim para a garota. Ela conta que, até os 18 anos, era magrinha e desengonçada, foi preciso muita malhação e persistência para alcançar esse corpão, além de uma lipoaspiração e 50 ml de silicone em cada seio. Mas valeu a pena, diz a moça, vendo o reconhecimento em forma do tão sonhado título de Miss Bumbum. Erika também reclama que já sofreu preconceito, aliás, toda a família já passou por esse mau bocado, somente a jovem ainda estava imune, mas, numa balada, um cara pegou seu braço e disse que ali não era o ambiente dela, conta, triste.

Publicidade

"Lugar de macaco é no galho", o resultado foi uma garrafada na cabeça dele.

Além da bela faixa e do título que ostentará por 1 ano, Erika também ganhou R$ 5.000 mil e um ensaio na revista "Sexy". Mesmo tímida, ela diz que gostaria que as fotos fossem em contato com a natureza e, na hora de tirar a roupa, para ajudar, vai tomar umas cachaças. "Não vai ser vinho, não! Vai ser uma 51 mesmo", dispara a moça, sorrindo feliz. #Racismo