Na madrugada deste sábado, 31, aconteceu uma das lutas mais esperadas do ano no mundo do MMA. A brasileira Amanda Nunes lutou contra a queridinha dos octógonos, Ronda Rousey, em Las Vegas, nos Estados Unidos. A luta das duas foi um dos shows do ano da #Televisão, não só brasileira, como mundial. A mídia, no geral, parecia torcer para uma recuperação de Ronda, mulher mais famosa desse tipo de luta. Na transmissão, muitos pareciam infartar. Narradores gritavam e ficaram tão empolgados como as lutadoras, em uma disputa que durou menos de um minuto. Amanda, que na pesagem usou uma máscara de leoa, acabou levando a melhor. Em apenas 48 segundos, o que ela promoveu foi um atropelo, um massacre.

A vitória da brasileira não somente deu dinheiro e manteve o cinturão com ela.

Publicidade
Publicidade

Vencer fácil, em menos de um minuto, um fenômeno da luta, acaba fazendo de Amanda um nome a ser temido. Ela não teve o menor medo de avançar contra Ronda, mantendo o seu reinado. Para conquistar a vitória, ela usou jabs no rosto da opositora, que acabou caindo no chão. Após a derrota para o boxe da brasileira, Ronda não teve outra escolha, a não ser sair abraçada com a mãe. A segunda derrota deve fazer com que ela se aposente de vez do esporte, o que para os criadores do #UFC é terrível. Por ser bonita, a loira atraía muitos holofotes, de todos os tipos, além é claro, de patrocinadores, essenciais para manter o show das lutas.

Aos 28 anos, essa foi a primeira vez que a brasileira teve que defender seu cinturão. Isso deve acontecer, em média, duas vezes por ano. Amanda acabou reconhecendo que a opositora é muito importante para o MMA, mas que o tempo dela já passou, lembrando que também treina dura e que merece que o seu talento agora seja reconhecido.

Publicidade

A baiana agradeceu ao grupo que a ajuda a treinar na academia e que a fizeram chegar em um novo patamar. A vitória em menos de um minuto da brasileira fez com que seu nome bombasse na web, virando meme.

Veja abaixo um gif que mostra a comemoração da brasileira, após manter-se como a mulher a ser batida no UFC: