Alan Luciano Ruschel, nasceu em 23 de agosto de 1989, na cidade gaúcha de Nova Hartz; filho de Flavio e Loreni Ruschel, irmão de Amanda Ruschel e Alissen Ruschel e, noivo de Marina Storchi. O lateral-esquerdo reage bem no hospital e já fez até brincadeiras com a equipe médica que está atuando em seu caso. Seu pai, e sua irmã Amanda, constantemente atualizam seus fãs sobre sua evolução através das redes sociais; o pai viajou para a Colômbia para acompanhar de perto o cuidado do filho, e a mãe, bastante abalada, preferiu esperar pelo seu retorno junto com os filhos.

História no Futebol

Alan joga atualmente como lateral-esquerdo, mas no começo de sua carreira no Juventude em 2008 (time de Caxias do Sul) chegou a atuar também como meia; nesta época não teve muitas atuações, sendo emprestado para o Pelotas em 2010 e para o Luverdense em 2011; após esses empréstimos, retornou ao Juventude em 2012, onde permanceu até ser contratado pela Chapecoense, depois do Campeonato Gaúcho de 2013.

Nesta primeira etapa com a #Chapecoense, jogou seis partidas e fez um gol, e então foi pego no exame anti-doping, ficando impedido de atuar. Em 2014 foi contratado pelo Internacional (um dos times mais populares entre os gaúchos, com sede na Capital, Porto Alegre), como haviam outros dois jogadores de nome Alan no time, ficou então conhecido como Alan Ruschel. De agosto a dezembro de 2015, esteve emprestado para o Atlético Paranaense, até 2016, quando preferiu abandonar o time paranaense e voltar para Santa Catarina, na Chapecoense, time pelo qual atua no momento.

Em sua lista de títulos estão:

- Copa FGF: 2012

- Campeonato Gaúcho: 2014, 2015

- Campeonato Paranaense: 2016

O dia que marcou sua história.

O lateral foi um dos seis sobreviventes do #Acidente com a Delegação do Chapecoense, no dia 29/11/16, o primeiro a ser resgatado, há uma semana atrás; as primeiras notícias recebidas sobre o atleta, foram de que ele teve uma fratura na coluna e lesões múltiplas, preocupando bastante familiares e torcedores com a possibilidade de ficar paraplégico.

Na sexta-feira, 02/12, sua irmã Amanda trouxe boas notícias, postando em suas redes sociais que o pai havia lhe informado que Alan tinha apertado sua mão e movimentado as pernas, foi mais um alívio em relação ao jogador; de acordo com os médicos ele está reagindo bem, mas quando está consciente fica bastante agitado, levando os médicos a optarem por mantê-lo sedado.

Logo em seguida, na madrugada de sábado, 03/12, mais notícias boas; através do Instagram do atleta, o pai de Alan comemora a recuperação do filho:

"Estou muito feliz com a recuperação do meu filho. Está desinchando, está respirando sem ajuda de aparelhos, retiraram essa madrugada, já está comendo sem ajuda de sonda e depois de muitos dias de angústia, consegui ouvir a voz dele novamente.Me perguntou quando iria voltar pra casa, o que tinha acontecido, se mais alguém havia se machucado. Perguntei se lembrava de algo e disse que não. Sabe que veio jogar na Colômbia. Lhe disse que haviam feito um pouso forçado, que Follman e Neto estão aqui no Hospital também e que estão bem. Mandei um vídeo que minha família mandou pra ele e ficou feliz. Só tenho a agradecer a Deus por tudo que tem nos proporcionado. Mais uma vez agradeço pelas orações e pela torcida de vocês, que nesse momento nos dá muita força. Grande abraço a todos."

Em uma conversa com os médicos, Alan disse ao Dr. Marcos Sonagli, ortopedista do clube catarinense, que sua vida foi salva por Deus três vezes; a primeira foi em Chapecó, quando sofreu um acidente de carro, a segunda foi quando ele mudou de lugar dentro do avião, e a terceira por estar reagindo bem.

A noiva de Alan, contou em entrevista, que teve um pressentimento e chegou a pedir para que ele não fosse. Contou que o passaporte do jogador sumiu que procurou até no lixo, porém o passaporte não foi encontrado. Ela encarou isso como um tipo de "sinal", mas como na Colômbia brasileiros podem entrar só com o RG, Alan acabou indo na trágica viagem. #sobrevivente