O cantor João Paulo completará em 2017 vinte anos de morto. Ele, que dividia os palcos com Daniel, faleceu em um grave acidente de carro. Mesmo após tanto tempo, a família de João e Daniel parecem não se entender. Isso porque eles estão em uma batalha judicial contra o cantor. Os familiares processaram o artista, pois descobriram que o representante da música sertaneja estava exibindo fotos de João morto nas apresentações. A viúva do falecido não gostou nada disso e entrou na justiça. Ela acusa o padrinho do 'Teleton', do SBT, de utilizar sem permissão a imagem do marido e que está ganhando dinheiro com isso.

A legislação brasileira impede que se ganhe dinheiro com o nome, fotos ou algo que se lembre uma pessoa morta.

Publicidade
Publicidade

Isso somente é permitido, quando a família aceita e ganha algo com esse tipo de divulgação. Até mesmo exposições pagas podem gerar algum tipo de problema, o que explica a demora em alguns tipos de homenagens. O Tribunal de Justiça de São Paulo acabou dizendo que a viúva de João Paulo, de fato, estava parcialmente correta com o seu pedido. A entidade condenou o artista a pagar uma indenização de R$ 100 mil. O dinheiro deve ser dividido entre a mulher de Paulo e a filha dele.

Ainda cabe recurso da decisão, mas ninguém sabe se o #sertanejo realmente vai querer fazer isso, afinal, seria uma briga desgastante com a família de alguém que ele já chamou de amigo e que dividiu consigo muitos momentos felizes e de sucesso. Até hoje, diga-se de passagem, sempre que pode, Daniel agradece ao amigo que se foi de forma tão trágica.

Publicidade

A esposa de João ainda reivindicava que fotos e vídeos de seu marido não fossem mais exibidos na imprensa e que uma exposição com o nome do cantor acabasse.

Não é a primeira polêmica com mortos famosos. No ano passado, imagens de Cristiano Araújo geraram muita irritação. Naquele período, no entanto, as fotos mostradas de Cris eram dele morto e sendo preparado para o enterro. No Brasil, este tipo de crime é tipificado como vilipêndio de cadáver.