Em outubro, #Silvia Abravanel, filha do apresentador e empresário Silvio Santos, inaugurou em São Paulo a #Escola de Princesas, local voltado para o público feminino infantil – entre 4 a 15 anos –, que tem como objetivo resgatar os bons costumes. Desde então, a escola tem revoltado as #Feministas.

Nesta semana, a revista Contigo publicou uma reportagem com a apresentadora do “Bom dia & Companhia”, do SBT, e as feministas voltaram a usar o Twitter para demonstrar a indignação com o projeto de Silvia.

Entrevista

A entrevista foi publicada pela revista Contigo! nesta semana. O SBT, como de costume, tem exibido chamadas anunciado a revista que está nas bancas.

Publicidade
Publicidade

Silvia Abravanel fala o que a motivou a abrir uma filial da Escola de Princesas, projeto originário de Uberlândia, em Minas Gerais, onde foi criado pela psicopedagoga Nathalia de Mesquita, em 2013.

“Eu vi outro dia na internet um vídeo com menininhas de 3 anos dançando um funk promíscuo, não adequado para a idade delas”, diz Silvia, que afirmar querer trazer mais ternura e amabilidade para as meninas.

Na entrevista para a Contigo! a filha de Silvio Santos ainda fala sobre outras coisas relacionadas à escola, inclusive as críticas que recebeu na abertura do local, em outubro.

Silvia convida quem critica a Escola de Princesas a conhecê-la, para entender como o local funciona.

Repercussão no Twitter

Silvia Abravanel e sua Escola de Princesas vem recebendo críticas do público feminista desde que foi lançada, há dois meses.

Publicidade

Foi criada até uma nova palavra, “desprincesamento”, em contraponto ao empreendimento da apresentadora do SBT.

Separamos três tweets que mostram a indignação dessa parcela de pessoas que acham absurdo existir uma escola que pretende ensinar bons modos e bons costumes às meninas.

Essa usuária do Twitter está revoltada com a Escola de Princesas

Mais uma a demonstrar a irritação e nervosismo por conta da criação da escola

Chamou de cafona, xingou o SBT, reclamou dos filmes do “Cine Espetacular” e da “Tela de Sucessos”

Segundo essa usuária, a Escola de Princesas ensina as mulheres a serem mongas e mandadas