O filho de #Tati Quebra Barraco foi assassinado na madrugada deste domingo (11) na Cidade de Deus, onde aconteceu um intenso tiroteio. Pouco depois de 1 hora da madrugada, Yuri Lourenço da Silva, de 19 anos, foi baleado no rosto e morreu. Ele ainda chegou a ser socorrido e foi levado ao Hospital Lourenço Jorge, que fica na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, mas infelizmente não resistiu.

Tati Quebra Barraco está desesperada. A família disse que os policiais militares é que mataram o rapaz. Ainda de acordo com testemunhas, um outro jovem, amigo de Yuri, foi baleado e também morreu. Os fãs ficaram chocados com a notícia, e na manhã deste domingo, à medida que eles vão acordando e acessam o Twitter, encontram o nome da funkeira entre os assuntos mais comentados da rede social.

Publicidade
Publicidade

Ao saberem da tragédia ficam revoltados e tentam de alguma forma postar mensagens que ajudem a cantora a ter força nessa hora.

A polícia já confirmou que realmente houve o tiroteio na Cidade de Deus e que pelo menos duas pessoas foram feridas, mas a polícia ainda não confirmou oficialmente a #Morte dos jovens e disse que o confronto era com traficantes de drogas da comunidade. Ainda de acordo com a PM, os policiais estavam fazendo um patrulhamento na região quando os criminosos os surpreenderam na rua Quintanilhas e foi então que o tiroteio começou, sendo que os oficiais tiveram que atirar para se defenderem, sendo que pelo menos dois bandidos foram baleados e muitas drogas, além de armas, foram apreendidas.

Tati Quebra Barraco fez uma postagem em seu perfil no Twitter contando o que houve e mostrando-se extremamente abalada com a morte do filho.

Publicidade

"A PM tirou um pedaço de mim que jamais será preenchido. A PM matou o meu filho", escreveu a funkeira que ainda disse que essa é uma dor que nunca mais vai cicatrizar.

O caso deverá ser investigado, até porque começou nas redes sociais uma intensa campanha de solidariedade à funkeira e os fãs estão tristes, mas também revoltados e exigem uma resposta do comando da PM.