Um dos cantores mais conhecidos do mundo, Justin Bieber, está proibido pelos seus advogados de ir à Argentina. Caso vá ao país nos próximos dias, ele corre até o risco de passar o Natal e o ano novo na cadeia. O motivo é que o ex-namorado da atriz e cantora Selena Gomez está indiciado pela justiça do país do tango. O motivo é uma acusação muito grave. O intérprete de 'Baby' teria mandado que seus seguranças dessem uma surra em um fotógrafo, quando ele esteve no país. A atitude teria acontecido em 2013, mas até agora ainda ronda a vida do profissional da música.

Além de ser acusado como mentor de um crime contra o paparazzi, #Justin Bieber ainda é acusado de ordenar que o dinheiro e o equipamento fotográfico do profissional da mídia fossem furtados.

Publicidade
Publicidade

Dessa forma, ele não teria a capacidade de fazer qualquer tipo de flagrante. O ano de 2013 foi justamente o período que Bieber se meteu em muitas confusões na América do Sul. Ele esteve no Brasil, onde foi flagrado fazendo pichações em muros. Justin ainda foi visto em uma casa noturno e fotografado com uma menina, que seria uma garota de programa, paga para ter relações íntimas com ele.

A possibilidade de prisão do famoso foi alertada pelo site TMZ, o mesmo que anunciou em "primeira mão" o falecimento do 'Rei do Pop', o cantor Michael Jackson, que morreu quando comemorava o seu cinquentenário. O TMZ diz que o staff do cantor alerta a ele que não vá à Argentina até que o caso seja completamente resolvido. Do contrário, ele realmente corre o risco de prisão. A notícia caiu como uma bomba no mundo dos famosos e os fãs estão reclamando da justiça do país Sul-Americano, dizendo que a reação é muito exagerada e que não há provas cabais contra o famoso.

Publicidade

O problema é que o processo contra o cantor é antigo e ele não deu muita importância para o que poderia acontecer. Os advogados de Justin, segundo o TMZ, vão recorrer da decisão. Eles vão argumentar que o fotógrafo somente tem um objetivo, aparecer e conseguir dinheiro do cantor famoso internacionalmente.