A novela "Carinha de Anjo" está fazendo um grande sucesso no SBT, mas o que muitos não sabem é que essa novela é muito antiga, pois sua versão original estreou há mais de 4 décadas e se chamava "Papá Corazón", tendo sido exibida ainda no ano de 1973 na Argentina, conquistando uma das maiores audiências de todos os tempos.

"Papá Corazón" era uma novela avançada para a época, mas ao mesmo tempo era doce e conquistava não só as crianças, mas também os adultos, assim como vem acontecendo hoje. Entretanto, naquele ano, teve um fato que marcou a novela para sempre na Argentina. É que uma garotinha de apenas 5 anos, que assistia sempre a novela, se suicidou.

Publicidade
Publicidade

A criança dizia que conversava com sua mãe, que já tinha morrido, assim como acontece na novela, onde a pequena Dulce está sempre dialogando com sua falecida mãe.

A imprensa argentina naquela época fez uma imensa cobertura do caso e a partir daí surgiu o medo de que outras crianças pudessem fazer o mesmo. A partir desse fato, aumentou muito a preocupação com as novelas mexicanas, pois o caso chocou o país inteiro e o medo tomou conta de todos. Inclusive os pais passaram a tomar mais cuidado com o que os filhos andavam assistindo na televisão.

No ano de 2001, com a história do suicídio já quase esquecida por todos, foi feito um remake de "Papá Corazón", que recebeu o nome de "#Carinha de Anjo" e novamente a novela trouxe o tema para sua história. A justificativa do autor é que ele precisava ser fiel à história original, pois essa era uma das principais características da protagonista, ficar conversando com sua falecida mãe.

Publicidade

O SBT resolveu fazer sua versão, a que está sendo mostrada agora e os produtores ficaram preocupados com essa questão da menina que se suicidou na Argentina por causa da novela. É certo que isso foi há muitos anos, mas ninguém quer se arriscar e, por isso, na novela "Carinha de Anjo" do SBT, a pequena Dulce Maria continua conversando com sua mãe morta, só que é através dos sonhos, ou seja, a emissora deu a entender que se alguma criança, sem mãe, quiser fazer o mesmo, irá para a cama dormir e sonhar. #Tragédia #Morte