Quem não viu torce o nariz para ele, mas, quem viu se apaixonou loucamente. À primeira vista, é um filme americano clichê sobre meninas fúteis. E é, mas não somente isso. "Meninas Malvadas", dirigido por Mark Watters, tornou-se um clássico entre a geração que nasceu nos anos 90 e continua conquistando o público teen a cada ano.

Baseado no livro de Rosalind Wiseman, "Queen and Wannabes", o longa é uma comédia única entre as tradicionais comédias destinadas aos adolescentes. O roteiro de Tina Fey (a primeira mulher que comandou o departamento de criação do famoso programa Saturday Night Live) deixou suas falas marcadas na memória dos fãs do filme: "Regina George é perfeita", "Nas quartas usamos rosa", "Ela não me deixa usar brincos de argola", "Ela nem estuda aqui!", "Esse é o Damian, ele é gay demais dá conta".

Publicidade
Publicidade

O longa tornou-se praticamente uma música e tem gente que sabe inteiro, de cor.

"Meninas Malvadas" conta a história de Cady Heron (Lindsay Lohan), uma garota que chegou da África e, até então, tinha sido educada em casa pelos pais zoólogos, ou seja, nunca havia frequentado uma escola e é surpreendida ao descobrir a divisão de classes que existe dentro do novo colégio: "os calouros", "os certinhos", "os atletas de banco", "os nerds asiáticos", "os asiáticos descolados", "as gatas negras antipáticas", "as garotas que comem demais", "as garotas que não comem nada", "os drogados" e, finalmente, "as poderosas".

Na trama, Cady, sentindo-se desconectada desse novo mundo, faz amizade com Janis (Lizzy Caplan) e Damian (Daniel Franzese). Mas, ela chama a atenção de Regina George (Rachel McAdams), a abelha rainha do colégio, líder das "poderosas" e inimiga mortal de Janis.

Publicidade

Então Janis convence Cady a se infiltrar no grupo de patricinhas malvadas e bagunçar a vida delas. O que Janis não imaginava é que Cady se tornaria uma menina tão, ou mais malvada que todas as outras.

Mesmo sendo uma comédia pastelão e clichê, o filme tem muito humor negro e, ainda, consegue passar com sucesso uma "lição de moral" aos espectadores, além de fazer uma sutil crítica feminista ao próprio universo das mulheres, que menosprezam e fazem fofocas umas sobre as outras todo o tempo, abrindo espaço para que os homens também façam isso.

Citando uma das falas da própria Tina Fey (que também está no elenco do filme, no papel da professora Norbury): "todas vocês precisam parar de chamar umas as outras de vadias e vagabundas; isso só autoriza os rapazes a nos chamarem de vadias e vagabundas". Pois é, "Meninas Malvadas" também ensina lições pra vida.

E, nesta época de #Natal, fica impossível não lembrar desse filme. Afinal, uma das cenas mais marcantes é justamente uma apresentação das poderosas dançando a música "jingle bell rock".

E aí, quem se lembra? Comente qual sua cena preferida de "Meninas Malvadas". E, pra quem não conhece, é uma boa pedida pra assistir com a família neste Natal, e, melhor ainda, tem na Netflix.

#Cinema