Nesta quarta-feira, 7, foi realizada a primeira partida na televisão aberta desde a tragédia que envolveu o time da Chapecoense. Grêmio e Galo duelaram na segunda etapa da final da Copa do Brasil com uma semana de atraso. Mais do que quem receberia o título de campeão da competição, que dá acesso à Libertadores, o que chamou a atenção foi o ritual para se lembrar das vítimas da tragédia aérea do dia 29 de novembro, quando 71 pessoas morreram, entre elas, jornalistas e atletas. Em um ritual inédito, representantes dos mais diversos canais de televisão, rádio, jornais e revistas, que tiveram colegas mortos em Medellín, na Colômbia, vestiram a mesma camisa.

Publicidade
Publicidade

O uniforme "Verde Chape" trazia o escudo do time de Santa Catarina e o emblema da Associação Brasileira de Imprensa, a ABI. Galvão Bueno, narrador mais importante da Rede #Globo de Televisão e da TV brasileira, ainda no 'Jornal Nacional' apareceu com o uniforme. Ele disse que nunca narrara nada parecido. Já antes de entrar em campo, muitas homenagens aos mortos no acidente. A Globo teve como representante o comentarista Casagrande, ex-jogador de futebol, que fez muito sucesso no Corinthians. Galvão, em uma atitude nobre, anunciou os nomes das TVs concorrentes, que ali estavam representadas, como a FOX Sport e a ESPN.

Antes da bola rolar, jogadores se uniram aos profissionais da mídia. Perfilados, eles ouviram o som do clarinete, que tocava um música fúnebre. Câmeras dos mais variados canais mostravam as expressões de choro e dor, não somente dos que estavam no campo, fazendo a homenagem aos falecidos, mas também na arquibancada.

Publicidade

Um conflito entre a alegria e a tristeza extrema, algo que apenas o esporte é capaz de provocar.

"O Arnaldo está aqui chorando. Ele não tem como falar agora", disse Galvão denunciando o colega que costuma comentar a arbitragem. O gesto de homenagem e a união dos profissionais da mídia marcou as redes sociais. Internautas fizeram elogios à imprensa e à organização, que fez de tudo para não deixar a tristeza em branco. #Chapecoense