Já faz certo tempo que vivemos uma era de ouro na teledramaturgia mundial. As séries de TV explodem no Netflix e o #Cinema também não perde o fôlego com os chamados Blockbusters. E 2016 foi definitivamente o ano destes no cinema, principalmente voltados para o mundo das HQ’s.

Superestreias, como o surpreendente Deadpool, desta vez muito bem adaptada, X-men, também do Universo Marvel, e Batman vs Superman foram filmes muito aguardados e que cumpriram bem seu papel com o público, embora este último nem tanto com a crítica. Esquadrão Suicida, também mal criticado, conseguiu arrebatar o público e ser o #Filme mais popular do ano, de acordo com o site AdoroCinema.

Publicidade
Publicidade

Mas o mais esperado do ano e que mais deixou o público em êxtase certamente foi Capitão América: Guerra Civil. O filme abordou uma saga clássica dos quadrinhos, em que ocorre o duelo ideológico (e físico) entre dois dos líderes do famoso grupo de heróis da Marvel conhecidos como Vingadores: Capitão América e Homem de Ferro. O toque especial ficou por conta da aparição do Homem - Aranha no Universo pela primeira vez, com passagem curta, mas impactante.

Entretanto, é inegável afirmar que as animações também não ficaram para trás. Aguardado por mais de 10 anos, Procurando Dory pode não ter sido tão fenomenal quando seu predecessor, Procurando Nemo, mas foi realizado com muita competência e trouxe ares de nostalgia a um público não tão infantil assim. Kung Fu Panda e Angry Birds não foram tão bem assim, a julgar pela fama que possuíam, mas A Era do Gelo nunca decepciona.

Publicidade

E seguindo nesta linha, 2017 promete muito mais. Janeiro já nos bombardeia com Assassin’s Creed, no dia 12, e o último filme da aclamada série Resident Evil, dia 27. Mulher-Maravilha e a primeira parte de Liga da Justiça, do Universo DC Comics, tem tudo para mostrar que seu Universo pode sim bater de frente com a Marvel e surpreender. Deste último, a novidade fica por conta do filme solo do Homem-Aranha, em julho. As opiniões sobre o novo cabeça de teia estão divididas, já que se trata de uma terceira versão em pouco mais de 10 anos e o elenco fica cada vez mais novo.

Mas talvez Velozes e Furiosos 8 ganhe destaque especial. O filme, com estreia prevista para abril, vem contra a vontade de boa parte do público, mesmo com o crescente sucesso que a série apresentou até aqui. Muito se defende que a franquia devia acabar em respeito ao ator Paul Walker, falecido antes do sétimo filme ir às telinhas. Mesmo assim, com o elenco de ponta, a promessa é de mais um grande sucesso da série no cinema.