Foram presos, nessa terça-feira (20) os acusados de #Racismo contra a filha dos atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank. Os autores foram encaminhados à delegacia para prestarem esclarecimentos sobre o fato. Entre eles está uma adolescente de 14 anos que confessou seu envolvimento.

Em investigação sobre o caso de racismo sofrido pela filha de Bruno Gagliasso, a Polícia Civil do Rio de Janeiro cumpriu hoje dois mandados de busca e apreensão em duas cidades de São Paulo, Guarulhos e em Itaquaquecetuba. Durante a operação batizada como Operação Gagliasso, foi apreendida também uma adolescente de 14 anos que no momento da abordagem confessou ter praticado os ataques.

Publicidade
Publicidade

Juntamente com os envolvidos foram apreendidos alguns celulares que devem comprovar o envolvimento no crime.

Há aproximadamente um mês a Polícia Civil foi procurada pelos atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank para prestarem queixa por sua filha de 3 anos ter sido alvo de comentários racistas na internet.

Após Giovanna postar uma foto do casal junto com a filha em sua página no facebook, uma pessoa escreveu o seguinte comentário: "Você e seu marido até que combina, mas a criança que vocês adotaram não combinou muito, porque ela é pretinha e lugar de preto é na África". Em seguida, a mensagem foi deletada e o perfil excluído.

Assim que a polícia recebeu a denúncia já iniciou as primeiras investigações sobre o caso. Em entrevista a delegada responsável pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática disse que não adianta apagar o comentário nem o perfil, isso não exclui o crime.

Publicidade

A Polícia Civil tem tecnologia suficiente para identificar todos os criminosos responsáveis pelo crime.

Bruno lamentou o caso, e disse que é muito doloroso ver sua filha ser vítima de tamanho preconceito. “Esse, com certeza, não foi o primeiro que minha filha foi alvo desses criminosos, mas espero que seja a última. Que esse caso sirva de exemplo e eu vou até o final. A polícia vai achar e quem fez isso vai ser responsabilizado perante a lei”, disse Bruno na delegacia.