Tudo começou quando o Sr. Alberto Abravanel, pai de Silvio, deixou a Grécia, onde nasceu, para fugir do serviço militar. Refugiou-se na França, mas foi expulso de lá por trabalhar como camelô. Veio para o Brasil de navio, onde se casou com Rebecca e teve seis filhos. Senor Abravanel – o Silvio Santos – nasceu no dia 12 de dezembro de 1930, no Rio de janeiro.

Quando garoto, não era bom aluno: gostava mais de falar do que de estudar. E gostava de futebol. Torcia para o Fluminense. Para complicar, o Sr. Alberto começou a se viciar em jogo, perdia muito dinheiro e o jovem Silvio perdia muitas aulas para tentar arrumar alguns trocados.

Publicidade
Publicidade

Aos 14 anos, com o fim da ditadura de Getúlio Vargas, descobriu que podia ganhar dinheiro vendendo capas de plástico para título de eleitor. Foi o pontapé inicial para construir o seu império.

Decidiu ganhar a vida como camelô, profissão também ilegal naquela época. O diretor de fiscalização da prefeitura, ao apanhá-lo, ao invés de levá-lo para a delegacia, deu-lhe um cartão para tentar um emprego na Rádio Guanabara. E lá foi ele disputar uma vaga com outros 300 candidatos, entre eles Chico Anysio e José Vasconcellos. Tirou o primeiro lugar. Aos 18 anos, ingressou no Exército e foi para a Rádio Continental, em Niterói. Posteriormente, montou serviço de alto-falante para as barcas de lá.

O início do Baú

Fez um teste na Rádio Nacional e passou em primeiro lugar. Foi quando se associou ao amigo Manoel da Nóbrega para salvar o Baú da Felicidade.

Publicidade

Nóbrega tinha um sócio alemão que o prejudicou financeiramente. Então, recorreu a Silvio, que estava com 27 anos. Mas Nóbrega percebeu que Silvio era muito arrojado e resolveu deixar todo o Baú para ele. Silvio levou adiante e devolveu todo o investimento feito por Nóbrega. Começou a fazer, também, as caravanas do “Peru Que Fala”, pelo interior de São Paulo.

Em 1961, estreou com um programa noturno na TV Paulista, o “Vamos Brincar de Forca”. Em 1962, Manoel da Nóbrega iria comandar um programa de variedades aos domingos. Mas, mais uma vez, Nóbrega cedeu o espaço ao amigo. Estreava, assim, o “Programa #Silvio Santos”. Em 1966, Roberto Marinho comprou a TV Paulista, mas manteve Silvio aos domingos, que fechou um contrato de cinco anos. Ele era o dono do horário. Em 1972, fechou contrato por mais cinco anos. Silvio, também, comprou 50% da TV Record (a outra metade era de Paulo Machado de Carvalho).

O começo do SBT

Em 22 de outubro de 1975, o presidente Geisel assinou o decreto que outorgava o canal 11 do Rio de Janeiro (TVS) a Silvio Santos. E ele saiu da TV Globo no dia 5 de janeiro de 1976. Passou a apresentar seu programa simultaneamente na TV Tupi e na TV Record, em São Paulo, e na TVS, no Rio. Em 1981, ganhou outras concessões do governo: é o início do #SBT. Hoje, Silvio Santos é um megaempresário. E o maior apresentador da história da televisão brasileira. #Baú da felicidade