Carlinhos #Vidente já acertou várias previsões como a derrota do Brasil para a Alemanha e o fato de Neymar não jogar a Copa do Mundo de 2014 até o final. Porém, recentemente, o seu nome se destacou na mídia por ele ter acertado a #Tragédia envolvendo o time da Chapecoense.

Veja também: Vidente faz previsões para 2017 para Faustão, Gugu, Fátima e Bonner e outros famosos

Vidente faz previsões para Ana Maria Braga, Xuxa, Silvio Santos em 2017

O vidente teria alertado para um acidente aéreo envolvendo um time de futebol completo. Ele realmente aconteceu, com brasileiros de Santa Catarina. Foram 71 mortos na queda do #avião que aconteceu na Colômbia.

Publicidade
Publicidade

Para 2017, as previsões de Carlinhos não são boas. Ele prevê queda de aviões e muitas mortes em no ano novo.

Veja as tragédias previstas por Carlinhos Vidente em 2017

Em entrevista dada para o jornal “O Dia”, Carlinhos contou que duas tragédias envolvendo queda de avião vão marcar o Brasil entre 2017 e 2018. Um dele terá entre 280 e 300 pessoas a bordo e vai cair no Brasil.

Já a outra aeronave é pequena, mas vai estar levando um time de futebol dentro dele. A equipe é do Rio de Janeiro e vai estar indo para outro estado, para uma partida. Desta vez, o avião não estará tão alto no momento do acidente.

Para completar, Carlinhos Vidente disse que mais de 200 pessoas vão morrer vítimas de deslizamento de encostas no Rio de Janeiro.

Previsões sobre política

Ainda para o “O Dia”, Carlinhos Vidente falou sobre as previsões para 2017 na política.

Publicidade

Segundo ele, em abril Temer vai renunciar após uma explosão de manifestos nas ruas. Segundo Carlinhos, o Senado estaria tentando evitar isso, mas não vai conseguir mais.

Ele também diz que Lula vai ser preso em 2017, mas na virada para 2018 ele já estará solto.

Para o vidente, 2017 será um ano muito ruim, pior do que o atual. O desemprego será muito grande e o país estará “sem governo”. Será um ano de muitos manifestos nas ruas e de muitas lojas fechando. A melhora só vai chegar no final de 2017 até metade de 2018.