O fim do noivado entre Rayanne Morais e Douglas Sampaio levanta um assunto polêmico, mas muito presente na sociedade brasileira: a #Violência contra a mulher.

Foram dez meses de relacionamento, um namoro conturbado que começou durante o programa #A Fazenda, onde eles se conheceram, mas que acabou há dez dias.

Na madrugada desta quarta-feira (30), a polícia foi chamada por conta de uma confusão no apartamento dos #Famosos.

O advogado de Douglas, Gláucio Lira, afirmou à imprensa que não houve agressão, apenas uma briga de casal. Já a assessoria de Rayanne não quis dar declarações.

Porém, depois de prestar depoimento na 32ª DP, no bairro da Taquara, Zona Oeste do Rio, a atriz foi escoltada por policiais até o apartamento para poder retirar suas coisas.

Publicidade
Publicidade

Ela diz que foi agredida durante a briga, mas Douglas segue negando que tenha agredido sua ex-noiva.

Denúncias de violência crescem a cada ano

O Brasil tem uma denúncia de violência contra mulher a cada 7 minutos, segundo dados da Secretaria de Políticas para Mulheres da Presidência da República.

Nos dez primeiros meses de 2015, foram registrados 63.090 relatos de agressões no país pelo Ligue 180.

Quase metade das denúncias (49,82%) são de violência física, outros 30,40% de violência psicológica, 7,33% de violência moral, 4,86% de violência sexual e 1,76% de cárcere privado.

Esses números só são apresentados porque as vítimas tiveram coragem de denunciar seus agressores.

Denunciar é tão importante que todo o dia 25 de novembro é comemorado o Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher.

Publicidade

A data serve para nos atentar contra esse problema mundial que atinge muito a sociedade brasileira.

Por aqui temos a Lei Maria da Penha (Lei n° 11.340/06) que foi instaurada como forma de proteger a mulher da violência doméstica.

E hoje é possível fazer a denúncia anônima como aconteceu no caso dos famosos Rayanne Morais e Douglas Sampaio, que foi, provavelmente, um vizinho quem denunciou a agressão após ouvir a discussão.

As denúncias devem ser feitas através do telefone 180, as ligações para este número são gratuitas.

É importante denunciar não apenas violência física, mas também humilhação e sofrimento psicológico.