A versão brasileira da Playboy surgiu em 1975 (estreou com o nome Revista do Homem - o nome Playboy, anátema para os moralistas da Censura, só pôde ser adotado em 1978), sendo ela própria um testemunho dos ventos mais brandos que começavam a soprar com o processo de Abertura ("lenta, gradual e segura”, havia determinado o então presidente Ernesto Geisel, patrono político-militar do processo), então em curso.

Depois de trocar de editora, após a Abril, sua casa em nosso país desde o começo da publicação em território nacional, ter se desinteressado do produto, a revista continua por aqui, tendo que enfrentar a concorrência online, que, inclusive convenceu a publicação a parar nos Estados Unidos de estampar as icônicas mulheres nuas na cama e apostar em poses apenas provocantes e na aura de sofisticação associada à revista.

Publicidade
Publicidade

Tanto o mundo quanto a publicação sofreram grandes modificações desde 1953, quando a primeira edição teve uma capa com Marilyn Monroe e nenhum número de edição, pois suspeitava-se de que não haveria continuação. Basta lembrar que, naquele ano, soldados americanos e "voluntários" chineses ainda matavam uns aos outros na Guerra da Coreia - agora, o gigante asiático, tornado potência econômica, é um dos alvos da estratégia de diversificação e abrandamento de imagem do Império Playboy, que conhece as manias de insularíssimos e censura do governo local.

Com todas essas mudanças em mente, que tal lembrar algumas capas da versão nacional da revista erótico-cultural dos últimos 10 anos?

1 - Flavia Lacerda

A modelo "plus size" recheou uma edição especial da revista entre a edição de novembro/dezembro de 2016 e a de janeiro de 2017.

Publicidade

Uma prova de que a publicação está cada vez mais aberta a belezas femininas de todas as formas e tamanhos.

2 - Luana Piovani

Já ouviu falar dela? A estrela das telas e palcos foi a primeira capa da revista na nova editora. A Playboy nacional, renascida em abril do ano passado depois de um hiato de quatro meses, provavelmente, nunca mais será o fenômeno que foi, mas, sem dúvida, começou muito bem.

3 - Rita Mattos

A Gari Gata foi uma das últimas clicadas para a capa no período da Abril em setembro de 2015. Confirmou o "gata" no nome artístico sem problema nenhum .

4 - Aline Prado

Globeleza até o ano anterior, Aline posou para a capa da edição de fevereiro de 2014, uma das últimas edições a quebrar a barreira dos 100 mil exemplares. Digamos que não foi o samba no pé que levou os marmanjos às bancas.

5 - Larissa Riquelme

#Cléo Pires é, como dizem os gringos, um ato difícil de suceder, mas a modelo paraguaia encantou até quem não gosta de futebol, vendeu quase 300 mil exemplares, a maior tiragem vendida desde então.

Publicidade

Falando em Cléo Pires...

6 - Cléo Pires

Saiu em agosto de 2010, em uma edição especial de aniversário, a qual vendeu quase meio milhão de exemplares - quase três vezes mais do que a edição anterior - e na qual se pôde ver que atuar não é o único talento da atriz.

7 - Adriane Galisteu

Na edição de agosto de 2011, Adriane Galisteu mostrou o que Senna viu de bom na apresentadora. Tudo.

8 - Juliana Salimeni

A "Juju" do Pânico foi a capa da edição de janeiro de 2010, mas ninguém ao se debruçar sobre as fotos da bela riu. #Famosos