No programa "Balanço Geral" da Record da última segunda-feira (9) o apresentador Marcão fez um comentário infeliz sobre a cantora Ludmilla, chamando-a de "macaca", quando alguém comentou que a celebridade teria se recusado a tirar foto com um fã, em uma praia do Rio, e como disfarce disse que se chamava Kátia. O caso só veio a público na noite de terça-feira (17). Indignado, Marcão disparou: "É uma coisa que não dá para entender. Era pobre e macaca! Pobre! Pobre, mas pobre mesmo!". Quando percebeu a gafe tenta emendar dizendo que também sempre comenta com os amigos que ele era pobre e macaco, mas o estrago já estava feito.

Assessoria quer processar

Para a "Quem" a assessoria da funkeira declara que medidas judiciais já foram tomadas.

Publicidade
Publicidade

Advogados entraram com processo contra emissora e contra o apresentador e só estão aguardando uma folga da cantora para comparecer à delegacia. Essa não é a primeira vez que a moça sofre #Preconceito racial, inclusive tem um internauta respondendo processo por ter ofendido a cantora com comentários racistas na web. De acordo com a assessoria da famosa, contra o apresentador a prova é contundente: o vídeo do programa onde ele faz o comentário racista. Para eles está mais do que na hora de acabar com esse tipo de gente que comanda um programa onde fica passando mensagens de ódio e continua impune. A mãe da cantora ficou muito triste com o episódio racista e ligou imediatamente para os assessores da filha aos prantos. Uma funcionária comentou até que pensou ser uma tragédia maior.

Record se manifesta

Através de seu perfil oficial no Twitter a emissora se manifestou sobre o caso "Marcão #Ludmilla", lamentando o transtorno causado pelo comentário indevido e informando que não apoia quaisquer tipo de preconceito, seja qual for o cunho.

Publicidade

Termina dizendo ter certeza que o apresentador Marcão apenas usou uma inocente expressão regional. Já a funkeira usou seu Instagram para fazer um desabafo: "Infelizmente ainda existem pessoas que não compreendem que a discriminação racial é crime". #Racismo