A #atriz Fernanda Machado, que se encontra fora da televisão, gerou grande polêmica após uma publicação que fez nas redes sociais. Internautas acusaram a atriz de estar torturando o próprio filho, Lucca, de apenas 1 ano. Nesta última quinta-feira (26), Fernanda fez uma postagem na rede social Instagram desabafando sobre o ocorrido e justificando seu ato.

Internautas consideraram um absurdo a atriz deixar seu bebê dormindo sozinho no berço, a atriz então questionou: "Desde quando colocar um bebê pra dormir no berço é crime?!". Ela explicou que a história iniciou quando ela fez a postagem de um vídeo, no qual mostra seu filho indo dormir no berço.

Publicidade
Publicidade

Fernanda disse que após Lucca se alimentar ele vai dormir e acontece uma "ginástica do sono", ele brinca e fica sonolento. Fernanda Machado acompanha os passos do filho por um monitor.

No vídeo mostra que enquanto o filho faz a "ginástica do sono", ele tenta se equilibrar em pé mesmo estando dormindo, ela considera: "coisa mais fofa" e enfatiza que a criança não apresentou choro nem resmungos. Fernanda se mostrou chateada por considerarem que ela não seria uma boa mãe deixando a criança sozinha no berço e que seu filho poderia estar correndo riscos. Ela avalia que a culparam ao disserem que não sente amor pelo filho e não "dá colo" quando a criança precisa.

'Meu maior sonho era ser mãe'

A atriz enfatiza no post que o maior sonho de sua vida era se tornar mãe, ela diz que está longe de ser perfeita, mas que não precisa provar para ninguém o quanto ela ama o filho.

Publicidade

Fernanda fala que é maravilhoso curtir a fase de crescimento de Lucca e que "deixou para trás" sua vida para se dedicar em tempo integral.

A atriz também disse que ela é a única pessoa que o coloca para dormir e que o amamenta a livre demanda há 19 meses. Diz não faltar dúvidas e não faltar amor nessa escolha de sua vida. Em seu texto, ela finaliza que nunca negará amor, carinho e seu filho nunca foi dormir sem se alimentar, ela dá um recado para os internautas: "Julguemos menos, apoiemos mais". #Filhos #Maternidade