Famosa na segunda metade da década de 80 por ser a voz do grupo de #Lambada #Kaoma, a cantora Loalwa Braz foi encontrada carbonizada em um carro incendiado na manhã desta quinta-feira (19), no Rio de Janeiro. O veículo estava na Estrada da Barreira, próximo à sua residência, em Saquarema.

As informações são da Polícia Militar. Por volta das 3h40 da madrugada, uma brigada do Corpo de Bombeiros foi acionada para conter um incêndio no sótão de uma pousada que ela tomava conta. Mais tarde, os Bombeiros voltaram a ser chamados, agora para apagar o incêndio em um Honda Civic, onde um corpo foi encontrado carbonizado no banco traseiro.

Publicidade
Publicidade

Pela manhã a perícia esteve no local o e o caso está sendo investigado pela 124ª Delegacia de Polícia, em Saquarema. Somente após uma perícia será possível saber se há relação entre os incêndios. De acordo com a Polícia, dois homens foram vistos na casa da cantora. O corpo será encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) para identificação.

Carreira

Nascida no Rio de Janeiro, Loalwa tinha 63 anos e veio de uma família de músicos. Sua mãe era pianista clássica e o pai chefe da orquestra popular. Entre os 4 e 12 anos estudou piano popular. Aos 15 anos venceu um concurso em Jacarepaguá e entre 1975 e 1985 colaborou com diversos artistas da MPB. Foi oi integrante da Academia de Artes Ciências e Literatura da França, pela qual foi condecorada com a medalha de prata da instituição.

Na metade dos anos 80, com a explosão do ritmo da lambada, ela fez sucesso junto com o grupo franco-brasileiro Kamoma, que emplacou hits como "Chorando Se Foi", "Dançando Lambada" e "Lambamor".

Publicidade

A cantora vendeu mais de 30 milhões de discos em todo o mundo entre os gravados com o grupo e carreira solo.

O site oficial da cantora destaca que ela foi uma das 20 vozes mais ouvidas no mundo graças ao sucesso “Chorando Se Foi”. Aliás a música foi até motivo de um processo de plágio, movido pelo grupo boliviano Los Kjarkas, que provaram serem autores e receberam uma indenização, de valor não revelado. #Casos de polícia