Paris Jackson, filha do astro #Michael Jackson causou polêmica ao garantir em entrevista à revista especializada em música, Rolling Stones, publicada nesta terça-feira, dia 24, que o pai foi assassinado. O cantor foi encontrado desmaiado em sua casa em 2009, e um coquetel de tranquilizantes foi identificado em seu sangue. Tentativas de reanimá-lo falharam em sua casa e a caminho do hospital falharam. Seu médico, Conrad Murray, foi responsabilizado e condenado a quatro anos de prisão por homicídio culposo.

Segundo Paris, mesmo que a ideia de que alguém tenha assassinado propositalmente seu pai possa parecer uma teoria da conspiração, é a verdade, e todos os familiares do cantor e "todos os fãs reais" sabem disso.

Publicidade
Publicidade

Ela afirma que deseja que a justiça seja feita, mas a situação em que se encontra é como um jogo de xadrez, ela precisa se concentrar em fazer os movimentos certos e não pode falar mais sobre o assunto. A adolescente afirmou que, embora ainda sinta a presença do pai junto a si, a dor pela perda do homem que era seu mundo não desapareceu - ela simplesmente decidiu seguir em frente apesar do sofrimento.

Paris Jackson é filha da enfermeira Debbie Rowe, que tratava o cantor da condição dermatológica conhecida como vitiligo e casou-se com o Rei do pop depois que este se divorciou de sua primeira esposa, pois sabia que o cantor temia muito nunca se tornar pai. O casal teve duas crianças, das quais a mais nova é Paris. O casamento durou três anos, e, no divórcio, Debbie concedeu total custódia das crianças a Jackson.

Publicidade

Paris, que foi criada pelo pai, disse à Rolling Stones que eventualmente se deu conta de que ela tinha uma mãe, pois um homem não pode conceber uma criança sozinho. Aos dez anos, ela perguntou ao pai sobre o assunto, e ele confirmou as suspeitas da menina. Instado pela filha, ele disse qual era o nome da mãe, Debbie, o que aplacou temporariamente a curiosidade de Paris. Quando mãe e filha finalmente se conheceram, Paris tinha 13 anos de idade e o relacionamento sempre foi, segundo a jovem, uma convivência de adultos em vez de uma relação entre mãe e filha.

A filha de Jackson também afirmou ter sido violentada, quando tinha catorze anos de idade, por um estranho muito mais velho do que ela, mas se recusou a falar mais sobre o assunto. Ela também diz ter enfrentado cyberbullying e que, embora a liberdade de expressão seja maravilhosa, os Pais Fundadores dos Estados Unidos não imaginavam o surgimento das redes sociais quando bem intencionadamente criaram suas emendas constitucionais. #Crime