Nos últimos dias, #Romário revelou ter passado por uma cirurgia de interposição ileal para o tratamento de diabetes, o que fez com que perdesse 10 quilos. Ele publicou fotos em seu Instagram, surpreendendo seus seguidores por estar muito magro. No entanto, declarou que pesava 80 quilos antes da cirurgia, o que equivaleria a um IMC de 28 - considerando sua altura de 1,67 metro.

“Essa foi uma indicação muito atípica. Geralmente pessoas com esse IMC têm a diabete tratada com medicamentos”, opina Bruno Halpern, diretor da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso).

Romário, ex-jogador da seleção brasileira, querido por muitos brasileiros como o “baixinho” bom de bola, está fazendo história na carreira política.

Publicidade
Publicidade

Ele foi eleito como deputado federal pelo PSB com quase 150 mil votos e depois foi eleito senador pelo Rio de Janeiro. Nos campos de futebol, Romário sempre agradou aos torcedores com seus dribles e gols. Na política, sua atuação vem sendo questionada desde que seu nome apareceu nas investigações da Lava Jato.

Suspeito de receber caixa dois na campanha de 2014, foram abertas investigações para apuração da existência ou não da propina. De acordo com a investigação, a suspeita é que a empreiteira #Odebrecht supostamente deu R$ 100 mil ao senador.

"Há um tempo, procurei espontaneamente a Polícia Federal para prestar esclarecimentos. Também entreguei meu sigilo bancário para comprovar que não recebi nenhum centavo de dinheiro ilegal durante a minha campanha, assim como meu sigilo telefônico. Volto a afirmar que não conheço, nem nunca falei com Marcelo Odebrecht", explicou Romário em nota.

Publicidade

Em julho, a revista Veja publicou reportagem na qual atribuía a Romário uma conta de R$ 7,5 milhões no banco BSI, em Genebra, que não constava de sua declaração de bens à Justiça Eleitoral. Após negar que não tinha conta no exterior, ele voltou a aparecer nas investigações, só que dessa vez envolvido em uma conversa entre o senador Delcídio Amaral e o Sr. Bernardo Cerveró. Romário foi então alvo de muitas críticas nas redes sociais.

Para preservar sua imagem, deixou de lado a fama, para se esconder das câmeras e evitou dar entrevista para qualquer tipo de meios de comunicação. Depois de tantas acusações de envolvimento com o maior escândalo de corrupção que o mundo já viu, seu legado na política pode afetar sua boa imagem como ex-jogador da seleção brasileira. #Lava-Jato