Nesta sexta-feira, 20, uma TV local da cidade de Melbourne, na Austrália, exibiu um momento estranho, ao vivo. Um homem, em um veículo vermelho, começou a provocar a repórter, que apenas fazia o seu trabalho. Ela falava sobre o tempo, quando foi surpreendida pelo engraçadinho. O passageiro fica mais de trinta segundos parado atrás da profissional, tentando aparecer. Mais tarde, acredita-se, ele seria um dos homens responsáveis por um assassinato coletivo. Isso porque, sem controle com o carro, ele acabou matando quatro pessoas que estavam no Centro da cidade.

Polícia é chamada e fala sobre tudo

As autoridades locais ainda apuram se o atropelador é o mesmo homem que deu as caras na televisão, ao vivo, mas nas redes sociais, vídeos e fotos do flagrante do atropelador já circulam.

Publicidade
Publicidade

O homem ficou conhecido cedo por acenar muito para a repórter. Ela fica sem graça ao final da reportagem e chega a olhar para trás, provavelmente percebendo o que houve. O homem então arranca agressivamente com o carro e vai embora.

Informações que se divergem entre a polícia e as imagens reveladas na web

Até o momento, o homem que atrapalha o trabalho da imprensa não foi identificado. Não se sabe se ele realmente é responsável pelos falecimentos de pessoas atropeladas nas ruas da Austrália. Em conversa com outros repórteres, Ghaham, Ashton, chefe da polícia local, falou que está verificando as câmeras de segurança australianas para saber se o dito cujo é o mesmo que aparece na televisão.

Na sua opinião, o que pode ter gerado o atropelamento coletivo na cidade australiana? Não esqueça de deixar o seu comentário.

Publicidade

A sua opinião é sempre importante para todos nós e ajuda a construir o diálogo de assuntos relevantes.

Veja abaixo o vídeo que mostra a repórter, ao vivo, tentando passar informações da região e sendo atrapalhada pelo engraçadinho:

Já as imagens a seguir exibem o motorista fazendo manobras extremamente arriscadas em um centro muito movimentado. É perceptível como tudo o que acontece é bastante perigoso:

#Crime #Investigação Criminal