Nesta quarta-feira, 11, a apresentadora Sônia Abrão, já de volta das férias de fim de ano ao seu programa, o 'A Tarde é Sua', da RedeTV!, decidiu falar sobre o acidente que envolveu o filho dos apresentadores #Fátima Bernardes e #William Bonner, Vinícius, de dezenove anos. O acidente de carro aconteceu no segundo dia do ano, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, e acabou deixando o amigo de Vinícius, Giuliano Castro, com ferimentos graves. "O pior já passou, no sentido que ele está vivo. No começo, os médicos não colocavam muita fé nisso. Os médicos falavam que ele tinha mais de 50% de não sobreviver", disse a maior audiência da RedeTV!.

Sônia citou uma reportagem produzida pelo UOL e Filipe Campos, um dos comentaristas da atração, que disse que as informações que obteve eram parecidas com a do portal de notícias.

Publicidade
Publicidade

Giuliano já teria deixado a UTI e foi para uma unidade semi-intensiva, na qual pode receber parentes. O rapaz, que também tem dezenove anos e é sobrinho da atriz Adriane Esteves, antes respirava com a ajuda de aparelhos e agora já fala com as visitas. Isso, no entanto, não significa que o seu estado seja delicado. A pancada do acidente automotivo pode ter causado alguma lesão na medula ou na coluna. Isso é o que os médicos mais temem. Por isso, o rapaz está fazendo uma série de exames médicos, que tem justamente o objetivo de verem a gravidade das lesões.

Sônia Abrão e seus comentaristas, no entanto, relataram que ainda existe uma possibilidade de Giuliano não voltar a andar. A apresentadora contou que torce para que o jovem não fique paraplégico e lembrou que nessa idade as pessoas são muito fortes.

Publicidade

Vinícius, Laura e Beatriz, trigêmeos de Fátima e Bonner, iniciaram uma campanha para tentar ajudar o rapaz. Eles pediram a doação de sangue de amigos e parentes. Até os pais famosos compareceram ao Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, onde Giuliano segue internado.

A jornalista lembra que todas as notícias dadas por elas ainda não tem caráter oficial, pois o hospital e a família do menino não se pronunciam.