Na manhã desta sexta-feira (27), os noticiários brasileiros disseminaram um vídeo onde o cantor #beto barbosa aparecia algemado e extremamente revoltado por estar envolvido naquela situação. Até as primeiras horas após o acontecimento, não havia ficado claro para a imprensa quais foram os motivos pelos quais detiveram o artista.

Quem trouxe maiores esclarecimentos no início desta tarde foi a apresentadora Sônia Abrão do programa A Tarde é Sua, da Rede TV. Segundo, ela a confusão toda iniciou dentro de um estabelecimento privado, um supermercado de Fortaleza, capital do Ceará, onde o cantor reside.

Beto Barbosa viu uma senhora humilde pedindo uma doação e resolveu comprar uma lata de leite em pó para ofertar.

Publicidade
Publicidade

O segurança do local ficou incomodado com aquela atitude e alegou que aquilo não poderia ser feito, pois outros pedintes poderiam incomodar clientes que estariam em compras.

Ao ser confrontado após uma boa ação, o cantor sentiu-se ofendido e tirou satisfações com o funcionário. A partir daí, a coisa tomou outro rumo, e a polícia foi chamada ao local.

Ao ser levado para um Distrito Policial de Fortaleza, o cantor foi algemado. Toda movimentação foi filmada por quem presenciou a cena e depois pelo próprio empresário do artista, que tomou a decisão de gravar o que acontecia a fim de combater falsas acusações sobre seu cliente, e ainda por um cinegrafista da afiliada ao SBT, a #TV Jangadeiro.

Durante a filmagem, é possível notar que apesar de abalado, Beto Barbosa se mostrou respeitoso e não ofendeu em momento algum qualquer autoridade presente no local.

Publicidade

Ele apenas questionava o que havia feito para estar detido e algemado. Como ele mesmo repetiu inúmeras vezes, não era um ‘vagabundo’.

Assista abaixo ao vídeo de toda confusão:

Com mais de duas décadas de uma carreira de sucesso e 22 discos gravados, Beto Barbosa se consagrou com o ritmo #Lambada. O cantor tem números expressivos de vendas, que somam a mais de 6 milhões de discos. Ele já esteve envolvido em outra polêmica policial, quando foi acusado de agredir uma mulher em São Paulo no ano de 2012.