A atriz e apresentadora Úrsula Corona revelou uma experiência surpreendente que lhe aconteceu enquanto gravava a série-documentário Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. Ela tinha tido um câncer diagnosticado poucas semanas antes e estava se tratando, mas não havia revelado isto a ninguém. Uma russa chamada Alexandra Grigorieva, do grupo indígena sakha, que vive na região da Sibéria, durante uma entrevista, disse à artista que ela tinha um câncer na cabeça.

"Hoje, falo abertamente sobre isso porque estou curada", explicou. Ela disse que mulher que entrevistara era uma especialista na medicina tradicional dos povos siberianos e possui "um conhecimento que a gente nem imagina".

Publicidade
Publicidade

Úrsula está atualmente afastada das #Novelas brasileiras. O último trabalho foi em “Totalmente Demais” (2016), na qual interpretou a assistente social Cláudia.

Apesar do diagnóstico preocupante, a artista não desanimou e procurou enfrentar a doença da melhor maneira possível. Ela contou ter consultado nove médicos. Destes, sete disseram-lhe que ela precisaria passar por operação e tratamento quimioterápico.

Duas outras médicas, uma do Instituto Nacional do Câncer (Inca) e outra do Instituto Estadual do Cérebro, disseram-lhe que não seria necessário lançar mão de tais procedimentos no caso dela. "E não foi mesmo", confirma Úrsula.

A famosa acrescenta que acredita no poder do pensamento positivo e treina para pensar positivamente deforma análoga a como as pessoas treinam os músculos ou o cérebro, respectivamente, malhando e estudando.

Publicidade

A série estreia nesta quarta-feira (22) no Canal Brasil e mostrará em cinco capítulos os bastidores da primeira edição da competição que lhe dá nome. O evento foi realizado em outubro e novembro de 2015 e reuniu mais de 3.000 competidores de mais de 20 países.

Segundo a apresentadora, que diz ser bisneta de um cacique e atualmente está em Portugal gravando uma novela do canal TVI, além de acompanhar as atividades esportivas, a atração também tratará das culturas e do estilo de vida dos povos indígenas e servirá como um elemento de conscientização quanto às violências praticadas contra as tribos por indivíduos gananciosos.

"E os índios poderiam ser ótimos exemplos, eles têm a vida mais simples e justa que todo mundo procura.", diz Úrsula. #Famosos