Após sete anos à frente do reality "#A Fazenda", que reúne celebridades e sub-celebridades do Brasil, Britto Jr. não teve seu contrato renovado no final de dezembro de 2016.

Britto, que aparentemente saiu magoado da emissora, fez um balanço de seu tempo como "homem de capa" do programa que fez desde sua estreia, em 2009, até 2014, quando foi substituído por Roberto Justus.

Na geladeira desde que deixou o reality, #Britto Jr. nunca mais conseguiu um programa ou um trabalho importante na emissora.

Agora o apresentador se sente à vontade para falar sobre o programa e seus bastidores.

BBB

Britto Jr. diz que Tiago Leifert influencia o jogo, dando dicas e opiniões que podem direcionar o público e os participantes para um caminho ou outro.

Publicidade
Publicidade

Bomba sobre "A Fazenda"

Britto Jr. disse que nunca podia interagir livremente com os participantes. Chegou a ser xingado, além de reprimido, censurado e, por fim, boicotado em suas aparições. Chegou ao ponto de se tornar insuportável ter o diretor do programa gritando o tempo todo no ponto e então ele resolveu sair.

O diretor do programa é Rodrigo Carelli, principal vítima das críticas de Britto Jr.. Segundo ele, esse diretor jamais pediu sua opinião sobre as decisões do programa. Lembra uma passagem em que, ao vivo, ele pediu para que alguém parasse de gritar no ponto. Era ele, Rodrigo que gritava. Segundo Britto, ele chegou a recitar bobagens no ponto para que Britto não pudesse ouvir o que os participantes falavam.

Mágoa da Record

Britto reportava o abuso à direção da Record, mas diz que nunca teve retorno.

Publicidade

Insistiu várias vezes nas reclamações de interferência do diretor em seu trabalho. "A direção do núcleo da Barra Funda foi avisada várias vezes", declarou.

Mas Britto afirma que são "sempre perdidos" e que jamais apuraram o fato.

Diz ainda que, com o Rodrigo Faro, em "A Fazenda de Verão" e com o Justus, acontece o mesmo.

Finaliza dizendo que sofreu "bullying" ao longo do trabalho em "A Fazenda" e diz que só suportou porque tinha que pagar contas. "Só volto se o trabalho me empolgar", afirmou.

O blog de Mauricio Stycer do UOL não tinha conseguido falar com Rodrigo Carelli e a Record para posicionamento até o fechamento da matéria.

Confere o momento em que o apresentador discute com o "ponto".

Ps. No vídeo aparece, inclusive, Heloísa Faissol, que se matou no início desse mês por depressão.

#Demissão