Damien Chazelle, de “La La Land”, tornou-se, os 32 anos e 1 mês de idade, o diretor mais jovem a vencer o Oscar de melhor diretor. "Este é um filme sobre o amor e tive sorte suficiente de me apaixonar enquanto o realizava. Significa o mundo, para mim, poder dividir isto com você", disse o diretor em seu discurso de agradecimento, se referindo à namorada Olivia Hamilton.

Quando #Damien Chazelle ganhou o prêmio de Melhor Diretor, ele não se juntou apenas ao panteão de cineastas criados na história pela graça de Oscar, também fez história.

Além do fato de sua vitória, Chazelle também enfrenta uma nova realidade. Até agora, o diretor fez três filmes: “Guy e Madeline em Um Banco do Parque”, “Whiplash” e “La La Land”.

Publicidade
Publicidade

O primeiro foi um jazz de micro-orçamento que começou quando ele ainda era um estudante de graduação, pago com fundos arrecadados de doações e familiares. O segundo não foi financiado até Chazelle fazer um curto como uma prova de conceito. O terceiro, agora vencedor de seis prêmios da Academia, teve rejeição de todos os cantos de Hollywood antes de encontrar uma casa no Lionsgate.

Essa era de sua carreira acabou - ou pelo menos está prestes a mudar. A partir daqui, Chazelle terá o tipo de liberdade que a maioria dos diretores só sonham, impulsionada por seu Oscar e “La La Land” ainda crescendo em todo o mundo – já arrecadou US$ 369 milhões (R$ 1,13 bilhão).

E enquanto o próximo projeto de Chazelle, uma biografia de Neil Armstrong, chamada First Man, será feito a partir de um roteiro do criador “Spotlight”, Josh Singer.

Publicidade

Vale a pena perguntar aonde ele vai a partir daqui?

Desde 1967, ano que marcou o advento de New Hollywood, houve seis vencedores do Melhor Diretor que ainda tinham 40 anos: Mike Nichols (36, “The Graduate”, 1968), William Friedkin (36, “The French Connection”, 1972), Francis Ford Coppola (36, “O Poderoso Chefão II”, 1975), Kevin Costner (36, “Dança com Lobos”, 1991), Sam Mendes (34, “American Beauty”, 2000), Steven Soderbergh (38, “Tráfego”, 2001), e Tom Hooper, (38, “Discurso do Rei”, 2011).

Entre os mais jovens indicados ao Oscar, John Singleton (“Os Donos da Rua”, 1991) ainda lidera com folga: concorreu com apenas 24 anos e 44 dias. #LaLaLand #Exorcismo Parte 2