Nesta segunda-feira (13), o ex-marido de #Luiza Brunet foi intimado e compareceu ao Fórum Criminal da Barra Funda, localizado na Zona Oeste da cidade de São Paulo. Esta foi a segunda audiência de instrução de acusação e durou aproximadamente 2 horas.

O empresário Lírio Parisotto está respondendo o processo de uma acusação feita por sua ex-mulher Luiza Brunet. A atriz e ex-modelo denunciou o marido após sofrer graves agressões físicas durante uma viagem do casal ao Estados Unidos, no dia 21 de maio de 2016. Quando retornou as pressas para o #Brasil, Luiza foi à Delegacia da Mulher denunciar o ocorrido.

Ela passou por exame de corpo de delito, aonde constatou a fratura de costelas, além de vários hematomas e escoriações por todo o corpo, inclusive no rosto.

Publicidade
Publicidade

O exame clínico ainda contou com auxílio de uma tomografia computadorizada, cujo #Laudo aponta fratura da porção ântero-lateral do 7º ao 10º arcos costais direitos. O laudo e as imagens da tomografia foram divulgado esta semana pela revista Veja, apesar do caso estar correndo em segredo de justiça.

A segunda audiência ocorrida segunda-feira, além do depoimento de Parisotto, contou também com o de uma mulher, que, por precaução, não teve sua identidade revelada, que participou de uma viagem com o casal para o exterior. Por fim, foi ouvido um perito.

Parisotto conta com a defesa de um renomado advogado, Celso Vilard, que alega a inocência de seu cliente, já que ele só tem uma versão da história e que esta é bem coerente. O advogado encontrou brechas nas provas periciais do caso, nas quais um laudo alega fratura de um dedo e outro feito posteriormente acusa rompimento de tendão.

Publicidade

Segundo ele, o médico perito ouvido pelo juiz na última audiência afirmou que o atestado não tem o menor valor legal, já que contraria a medicina legal e de processo.

Já o advogado de Luiza, Pedro Egberto da Fonseca Neto, afirmou que a agressão está comprovado perante a Justiça, que não há dúvidas disso e sobre o agressor. Ele ainda disse em entrevista que o réu e o advogado não conseguem provas de defesa e ficam espalhando notícias de que sua cliente é violenta. Em defesa de Luiza, ele disse que em 40 anos de vida pública, ela nunca se envolveu em um escândalo sequer.