Maiara e Maraisa ficaram famosas depois que o hit "10%" caiu no gosto do público sertanejo. Atualmente, estão com agenda lotada para o ano todo. Os compromissos são tantos que falam na necessidade de comprar um jatinho particular para chegar a tempo nos shows que fazem por todo Brasil. A dupla da sofrência saiu da pequena cidade de São José dos Quatro Marcos (MT) para tentar o sucesso na capital e mesmo depois da fama e dinheiro, continuam focadas no trabalho. Maraisa contou à Marie Claire que a dupla não gosta de ostentar riqueza, preferem ser discretas.

Sobre o sucesso estrondoso que alcançaram em tão pouco tempo, as gêmeas do sertanejo concordam que é maravilhoso ver o carinho das pessoas e saber que gostam do que fazem.

Publicidade
Publicidade

E a melhor parte do sucesso, segundo Maiara é saber que são amadas pelo público e que os fãs se inspiram nelas. Também falaram sobre o início de carreira difícil e de como assistiam shows de outros artistas e sonhavam em pisar naquele palco. "Um dia seremos nós". De família humilde, o dinheiro era curto e as meninas sempre trabalharam para se sustentar, por isso, valorizam demais o que conquistaram.

As cantoras não sabem se existe uma fórmula para alcançar o sucesso, mas acreditam mesmo em foco no trabalho e muita fé, além de uma boa oportunidade. Quando se trata de dinheiro as gêmeas se retraem um pouco, pois não gostam de ostentar riqueza, contudo, Maraisa entrega que aos pouquinhos a dupla vai conquistando tudo que sonhou. Maiara e Maraisa começaram a fazer sucesso em 2016, porém, a dupla rala desde 2013 e no começo da carreira ganhavam R$ 100 por semana.

Publicidade

Hoje as músicas "Medo Bobo", "10%" e "Você faz falta aqui" continuam nas paradas.

O sucesso das mulheres no mundo #sertanejo é indiscutível. Elas reinaram absolutas durante todo o ano de 2016 e até formaram o time do "Feminejo". Ao lado de Marília Mendonça, Simone e Simaria, Naiara Azevedo e outras, as gêmeas mostraram que mulher também é sucesso na #Música sertaneja e o Brasil bate palmas para elas.