O ano de 1997 foi um marco para o #pagode. Com o título, cuja denominação era exatamente seu ano de gravação, o grupo mineiro Só Pra Contrariar lançava pela BMG seu quarto álbum de estúdio que revolucionaria para sempre o ritmo no Brasil. Com arranjos modernos, introdução de novos instrumentos e mais de 400 horas de estúdio, o CD foi um dos mais vendidos da história da música Brasil, ultrapassando a marca de 3 milhões de cópias. Outros tempos, quando a internet ainda engatinhava e trocar músicas on line era coisa de filme. O trabalho foi premiado com o "World Music Awards", dado aos artistas recordistas em vendas em diversos países.

Os quase 2 anos de espera desde o lançamento de “O Samba Não Tem Fronteiras” valeram muito a pena.

Publicidade
Publicidade

Nesse meio tempo, o grupo ainda lançou um álbum, ao vivo – algo ainda não muito comum na época para o pagode – com a coletânea de seus maiores sucessos (a ausência da canção “Linda” foi grande pecado daquela gravação) dos três discos anteriores e que ainda teve a inédita “Tributo aos Mamonas”.

Mas, voltando ao álbum em questão, as novidades começaram logo na capa, com um visual totalmente diferente de #Alexandre Pires, agora de cabelo raspado, e dos demais integrantes. Apesar de ainda estarem presentes na capa e no encarte do CD, as roupas coloridas de outrora usadas nos shows deram lugar a elegantes ternos bem cortados. A voz de Alexandre também mudou sensivelmente. A produção contou com a participação de 40 músicos.

Com um total de 15 faixas o disco teve como primeira música de trabalho a canção “Amor Verdadeiro”, mas a que estourou mesmo foi “Depois do Prazer”, composta por Chico Roque e Sérgio Caetano, foi uma das mais tocadas nas rádios em 1997 e 1998, e se tornou um divisor de águas na história da banda.

Publicidade

O disco teve ainda outros cinco hits tocados nas rádios de todo o Brasil – emplacar sete músicas do mesmo disco é algo raríssimo -, mas poderiam ser 11 ou 12, tamanha foi a qualidade do trabalho. As canções que também invadiram as FMs da época foram “Mineirinho”, “Quando é Amor”, “Mistérios do Coração”, “Minha Metade”, “Tá Por Fora”.

Das que não foram para as rádios, destaque para as divertidas “Doido Varrido” e “Artilheiro do Amor”, essa que contava as artimanhas de um conquistador usando o linguajar do futebol. “Menina Mulher” era outra que seria bem tocada.

O sucessor do álbum, intitulado interfone, de 1999, até teve relativo sucesso, vendendo cerca de 1.800 mil cópias, mas bem longe da repercussão do lançado dois anos antes, apesar de boas canções como “Sai da Minha Aba”, “Interfone” e “Machuca Demais”. O período também coincidiu com a queda nas vendagens de discos e um certo desgaste pelo qual o gênero passava, inclusive com vocalistas de alguns grupos partido para carreiras solo.

Publicidade

Faixas do Só Pra Contrariar 1997

Depois do Prazer

Tá Por Fora

Mineirinho

Quando é Amor

Minha Metade

Doido Varrido

Você de Volta

Tem Tudo a Ver

Artilheiro do Amor

Amor Verdadeiro

Mistérios do Coração

Pura Verdade

Cai na Real

Menina Mulher

Nosso Amor #Só Pra Contrariar