Pablo Escobar ocupou a primeira lista da Forbes, em 1987, com 90 outros bilionários internacionais (na listagem não constava nomes americanos). Com uma fortuna calculada em mais de US$ 2 bilhões, no setor de “drogas ilegais”, o traficante ocupou a 31ª posição. Após, o colombiano fez aparições em mais 6 edições, até 1993. Em 1989, chegou a ficar na 7ª colocação.

Estima-se que o cartel de Medellín tenha movimentado uma quantia de US$ 7 bilhões, em que Escobar mantinha uma fatia de 40%. O outro colombiano a fazer parte da lista, Jorge Luis Ochoa-Vasquez, dono de outros 30% do cartel, aparecia logo depois de Pablo.

Com sua fortuna, Pablo Escobar dava dinheiro aos pobres, construiu casa para sem-tetos, além de inaugurar 70 campos de futebol e um zoológico particular.

Publicidade
Publicidade

Diz-se que acumulava tanto dinheiro que já não tinha mais lugar para guardar as notas ilegais. E, dando dinheiro aos mais necessitados, conseguiu a adoração do povo, que o ajudava acobertando informações ao governo.

Foi preso em 1992 na cadeia que ele mesmo mandou construir. Fugiu após o governo descobrir que, na prisão, Escobar vivia rodeado de luxo e festas. Em dezembro do ano seguinte, foi encontrado pela unidade de operações especiais da Polícia Nacional da Colômbia, quando foi morto a tiros (cinco meses após sua última aparição na revista).

Na lista brasileira da Forbes, #Eike Batista chegou a ocupar a primeira posição em 2012, com uma fortuna estimada em US$ 30 bilhões. Neste mesmo ano, na listagem mundial, ele ocupava a sétima colocação. Em 2013, tudo mudou, uma forte crise motivada por um endividamento dos grupos de Eike o fizeram decair 51 posições, ficando em 52º lugar na listagem brasileira e em 100º na mundial.

Publicidade

Em 2014, o empresário estava fora do ranking.

Eike Batista também é reconhecido por ter realizado doações milionárias à caridades ao longo de seu legado. Muitos beneficiados também torcem para que ele dê a volta por cima.

Dia 30 de janeiro o ex-magnata passou sua primeira noite na cadeia. Eike Batista é acusado de corrupção ativa e lavagem de dinheiro, além de envolvimento em corrupção do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.

Ao contrário do colombiano, que construiu sua própria cadeia, com campo de futebol e churrasqueira, Eike Batista encontra-se em uma cela de 15 metros quadrados, com mais 6 presos. O lugar é munido de beliches de concreto, um buraco no chão, que serve de vaso sanitário, e um cano onde sai água fria para o banho. #Pablo Escobar #2017