A jornalista Patrícia Poeta relatou, pela primeira vez publicamente, a #Violência obstétrica que sofreu no dia em que deu à luz ao seu primeiro e único filho, Felipe, atualmente com 14 anos.

A data deveria vir acompanhada de encantamento e realização, mas Patrícia disse, em entrevista à edição deste mês da revista Marie Claire, que a experiência acabou sendo traumática. “Foi horroroso e um dos dias mais terríveis da minha vida”, afirmou.

O parto, que foi realizado em Nova York, nos #Estados Unidos, deixou um trauma que a jornalista não conseguiu superar e, consequentemente, uma frustração que vai carregar para sempre.

Entre 2004 e 2007, Patrícia e seu marido Amauri Soares (diretor da Central Globo de Produções) trabalharam em uma sucursal americana (filial sediada no exterior) da Rede Globo e moraram em Nova York.

Publicidade
Publicidade

Gestantes são tratadas com frieza por médicos e enfermeiras

Nos Estados Unidos, o parto normal é incentivado até o último limite e, de acordo com revelações da jornalista, as gestantes são tratadas friamente.

O obstetra a obrigou a esperar até a 42° semana de gestação, equivalente a 10 meses (no Brasil a média é de 40 semanas), causando-lhe cansaço extremo.

No dia marcado para o nascimento do bebê, Patrícia precisou aguentar 14 horas sentindo fortes contrações, até que, não havendo outra saída, foi realizada uma cirurgia cesariana. Durante as horas de sofrimento, a jornalista conta que temeu pelo pior.

Além de toda o tratamento frio que sofreu, ela disse que teve ainda que ouvir do obstetra a seguinte frase: “Mais um para pagar imposto”. Piada inconveniente e de muito mau gosto, dadas as circunstâncias.

Publicidade

Episódio ocasionou bloqueio e a impediu de engravidar novamente

Nesta mesma entrevista, Patrícia Poeta conta que o episódio traumático causou um bloqueio meio inconsciente e gerou uma frustração, já que ela se considera “mãezona para mais de um filho”.

Mesmo com o sonho de engravidar novamente e ter mais filhos, a jornalista relata que faltou coragem. Foi adiando os planos com a desculpa do trabalho e, assim como o tempo, a vontade também foi passando.

Para viver um pouco mais o sonho da #Maternidade e superar as más recordações, Patrícia tem uma irmã bem mais nova, Paloma Poeta, a quem ela cuida como se fosse sua filha e ainda curte surfar com seu filho, Felipe. “Atividade que jamais imaginei realizar“, conta a jornalista, que celebra a chegada de seus 40 anos.