De acordo com informações do site Natelinha, especializado em televisão, um famoso repórter, que trabalhou anos na TV Mirante, afiliada da #Rede Globo de Televisão no Maranhão, teve seu corpo encontrado em condições severas na cidade de Caxias. O profissional foi identificado como Jean Teles. Ele estava com o corpo muito machucado e desacordado, quando foi achado por terceiros. O repórter foi encontrado no dia 7, mas apenas nesta quinta-feira, 9, o assunto virou manchete em vários sites e também em reportagens feitas pela própria TV Mirante, onde Jean exerceu o seu trabalho por muito tempo.

A TV Mirante dá detalhes chocantes sobre o caso.

Publicidade
Publicidade

De acordo com os telejornais da afiliada global, o profissional foi levado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade de Caxias. No local, ele foi atendido imediatamente, e, em seguida, acabou sendo internado em uma UTI. O repórter de longa data, no entanto, começou a não reagir a nenhum tipo de tratamento, o que causou grande preocupação. Os médicos então decidiram fazer uma ressonância no paciente e aí veio a primeira revelação importante sobre o estado de saúde do homem. Ele estava com uma hemorragia cerebral considerada de gravidade média.

Após o primeiro atendimento, o jornalista necessitou ser transferido para um hospital especializado da cidade de Presidente Dutra, que também fica no Maranhão. Na nova unidade hospital, ele será acompanhado o tempo todo por profissionais capacitados, como um neurocirurgião.

Publicidade

Uma das possibilidades sugeridas pelo médico é que o repórter tenha sido vítima de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). A doença matou, recentemente, a ex-primeira dama do Brasil, Dona Marisa Letícia, mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A família do repórter diz que ele, nos últimos tempos, reclamava da pressão alta e de fortes dores de cabeça. O corpo do repórter desacordado foi encontrado fora do corpo dele. Todos os pertentes, como celulares e documentos, estavam junto ao homem, afastando a hipótese de roubo. #Jornalismo