Jesús Corona, normalmente titular no FC Porto, foi agredido por um Super Dragão depois do agressor não ter gostado de ver o jogador do seu clube no cassino em horário que ele considerou impróprio. Tal como informa o jornal “Sol”, as agressões começaram depois do torcedor ter ameaçado Corona, jovem jogador mexicano, que iria contar o sucedido ao presidente Pinto da Costa, dando a entender que o craque poderia ser prejudicado nos próximos jogos. As autoridades foram chamadas ao local e nenhum ferimento grave teria sido registado.

Nos últimos anos, sobretudo com jogadores que são pouco amados pelos seus torcedores, vários episódios de alguma violência envolvendo pessoas dos Super Dragões foram registados, normalmente tendo os carros luxuosos dos jogadores como alvo.

Publicidade
Publicidade

Contudo, dessa vez o contato foi mesmo físico, colocando naturalmente em risco a integridade física do jogador.

Como garante o site do jornal “Sol”, tudo aconteceu no Cassino de Espinho, um dos maiores em Portugal, depois de Jesús Corona ter sido confrontado pelo seu agressor, que disse que “no FC Porto não jogas mais, o presidente vai saber disto”. Mais do que o local pouco normal para um atleta profissional, teria sido a hora tardia, cerca da uma da manhã, que teria motivo o torcedor, apesar de ser o dia de folga para todos os jogadores do FC Porto.

Nas redes sociais, muitos portugueses ficaram em choque com mais uma cena de violência no futebol português, temendo que, caso o FC Porto não consiga cumprir com seus objetivos, mais propriamente com o título de Campeão Português, alguns jogadores podem sofrer ameaças e terem a sua integridade física em risco.

Publicidade

Na verdade, há poucas semanas, vários juízes portugueses foram abordados por membros de torcidas oficiais dos principais clubes portugueses, sendo que eles decidiram levar essas ameaças, que envolviam até suas famílias, até às últimas consequência. O clima de incerteza e de possível insegurança nunca esteve tão elevado nos últimos anos do futebol português. #Europa #Futebol Internacional #Casos de polícia