Marcos e Emilly cometeram uma infração gravíssima dentro do BBB 17. De acordo com informações do 1 News, em reportagem publicada neste domingo, 19, os dois teriam combinado sobre como iam dividir o prêmio do '#Big Brother Brasil'. Isso é proibido pelas regras, assim como qualquer tipo de esquema para favorecimento de um ou outro brother. Nesta edição, o próprio Marcos foi ameaçado de expulsão pela produção do #BBB, após começar a fazer promessas estranhas, como cirurgias gratuitas para Elis e Marinalva.

Publicidade

Essa prática é completamente proibida dentro do programa.

Publicidade

Mesmo sabendo disso, Marcos e Emilly começaram a fazer juras de amor. Eles conversaram e disseram que, caso um deles ganhasse o reality show, dividiria o prêmio com outro. Rômulo e Ieda ficaram completamente estupefatos ao verem a cena. O médico então foi alertado pelo diplomata que isso não era permitido. O cirurgião então teria dito que o dinheiro deveria ser gasto como o vencedor assim entendesse e que não a lei que faça a pessoa ser obrigada a não dar uma parte do que tem para outra. Ieda não conseguiu dormir e disse a Rômulo que ficou pensando em como ia acusar o casal para a produção do programa.

A participante mais velha de todas as edições já tinha arrumado uma briga com Emilly, já que ela foi uma das finalistas da Prova do Anjo, justamente, ao lado de Marcos. A prova que era uma pescaria teve a morena indo muito mal na última etapa. Com o médico ganhando o anjo, é ela quem tem a maior chance de ter a imunidade e de evitar o quarto paredão consecutivo.

Publicidade

Emilly é, de fato, a favorita a vencer o BBB 17. Marcos disse que para ele, ela já venceu o programa e que só está esperando o final chegar.

A mesma opinião foi compartilhada por Rômulo. O diplomata chegou a falar em pedir para sair do BBB, após dizer que o programa estava sendo vítima de manipulação. Ele, no entanto, não cumpriu a promessa. E você, o que pensa sobre o assunto? Deixe o seu comentário. A sua opinião é sempre muito importante e ajuda no diálogo.