Danilo Gentili, humorista e apresentador do SBT, poderá ser condenado pela #Justiça brasileira a prestar até um ano de detenção por ter postado uma mensagem contra o ex-presidente Lula. Assim, afirmou Danilo que o antigo presidente do Brasil falsificou um ataque com bomba, que foi realizado contra a sede do Instituto Lula, além disso também disse que o ato criminoso foi praticado de maneira proposital, já que Gentili acreditava que Lula forjou o ataque para se fazer de vítima.

Verifica-se que a mensagem ocasionadora do problema judiciário foi publicada no Twitter, na data de 31 de julho de 2015, tendo sida redigida pelo humorista em forma de crítica contra o ex-presidente Lula, haja vista que ele declarou que o atentado foi uma farsa que objetivava promover o líder petista.

Consta que a autoria do responsável pelo ato está sendo inquirida pelas autoridades judiciais até o presente momento.

Publicidade
Publicidade

Além disso, os advogados do líder do PT estão pleiteando perante o judiciário um "pedido de explicação", que é uma medida com teor jurídico, vindo anteriormente a um #processo penal que promoveria infrações como de calúnia e difamação. Ou seja, as partes buscam primeiramente uma explicação para a prática do ato praticado pelo humorista.

Atualmente, o Tribunal de Justiça de São Paulo estabeleceu que o comediante explicasse de maneira formal o fundamento que possui para ter realizado a afirmação, buscam descobrir de onde foi retirada a informação. Todavia, se ele não conseguir explicar a fundamentação para ter redigido o que afirmou, poderá ser processado por ter cometido o crime de difamação, fato que fará com que ele seja condenado judicialmente, tendo que cumprir a pena no período de três meses até um ano, cumprindo no regime de detenção.

Publicidade

Diante de tudo o que foi redigido, observa-se que Danilo deverá se apresentar perante o Tribunal de Justiça de São Paulo, devendo se justificar e apresentar as razões de ter feito criticas contra o Lula, caso não consiga demostrar razões aplausíveis em sua defesa, será condenado judicialmente.