Susllem Meneguzzi Tonani, de 28 anos, trabalhou como figurinista da Rede #Globo e decidiu tornar público, por meio do blog "Agora é que são elas", da Folha de S. Paulo, como foi assediada repetidamente pelo ator José Mayer, de 67 anos. A postagem foi publicada na madrugada desta sexta-feira, 31 de março, mas pela manhã já estava fora do ar.

No início do mês, o colunista Leo Dias já havia mencionado uma denúncia de uma funcionária que entrou em contato com ele, relatando que, além dela, outra mulher chegou a pedir demissão depois de o ator supostamente tê-la agarrado à força no camarim.

Em seu texto, Susllem Tonani relata que a primeira "brincadeira" de José Mayer com ela teria acontecido há 8 meses e que os elogios rotineiros rapidamente se transformaram em comentários desagradáveis e invasivos.

Publicidade
Publicidade

Deixando claro que estava desconfortável com as insinuações do ator, a figurinista disse que, se ele a tocasse, não hesitaria em procurar o departamento de recursos humanos da empresa. Porém, o senso de superioridade de Mayer fez com que ele ignorasse a vontade da funcionária e, em fevereiro de 2017, segundo Tonani, ele colocou a mão em sua genitália e disse ainda que aquele "era seu desejo antigo".

Duas outras mulheres estavam no camarim onde o #Assédio ocorreu e, em vez de defender a colega, apenas riram da situação. Em outra ocasião, Mayer ameaçou tocá-la novamente, sem se importar em estar na frente de todos, no set de filmagem e, diante da reação negativa da figurinista, a chamou de "vaca".

Ao procurar o RH e a ouvidoria, obteve o reconhecimento de que se tratava de algo grave e a promessa de que as devidas providências seriam tomadas.

Publicidade

Mas, como a própria Tonani argumenta, dificilmente um ator renomado da casa irá sofrer consequências por conta de seus atos. Tendo pedido seu desligamento da emissora, a figurinista agora aguarda o desenrolar de sua denúncia, além de ter que se preocupar se será ou não contratada novamente, nessa cultura em que a vítima é considerada tão ou mais culpada que o assediador.