Luciana Lima, de 43 anos, ficou conhecida em todo o Brasil por conta de uma tragédia. Ela é viúva do ator Domingos Montagner, que faleceu no ano passado, vítima de um afogamento do Rio São Francisco, durante um momento de folga da então novela das nove 'Velho Chico'. Meses depois à tragédia, Luciana decidiu desabafar e conta o que viu daqueles dias, além da posição da emissora ao contar a notícia que mudou sua vida. Quem ligou para Luciana, às seis da tarde, foi a diretora de produção da Rede Globo, Mônica Albuquerque. Ela confirmaria que o corpo de Domingos foi encontrado e que ele estava morto. A procura do cadáver do ator envolveu um verdadeiro efetivo de guerra, usando até helicópteros, o que possibilitou que ele fosse encontrado rapidamente.

Publicidade
Publicidade

A partir do momento em que descobriu o que havia acontecido, a mulher de Domingos teve apenas uma ação. Ela reuniu a família e decidiu ela mesmo contar que Montagner havia falecido. Ele deixou três filhos, Dante, de 6 anos, Antônio de 10 e o mais velho, Leo, de 13 anos. Foram seis meses até que Luciana decidisse falar pela primeira vez. O desabafo dela aparece em uma entrevista dada à Revista Marie Claire, publicada nessa semana. Na conversa, ela contou como conheceu o ator. De acordo com ela, o encontro foi em 1999, na cidade de Natal. Ele foi um verdadeiro cavalheiro. Aos poucos, ela foi se envolvendo com o artista, em uma paixão que duraria mais de uma década. Ao contar ao filho mais velho o que aconteceu, ele teria respondido: “Não vai acontecer nada, meu pai sabe nadar e não pode ir contra a correnteza".

Publicidade

Infelizmente, como sabemos, aconteceu. Ela disse que pediu aos filhos para que não entrassem na internet. Às seis da tarde, todos já estavam em casa e a diretora de produção da TV Globo ligou para ela para confirmar a notícia. A produtora então questionou se a notícia que viria ela ruim e ela confirmou que o corpo do ator já havia sido encontrado. Agora ela e a família tentam se encontram sobre tudo o que aconteceu e alimentam memórias. #Domingos Montagner