O apresentador e empresário #Silvio Santos, de 86 anos, teve um câncer de pele na região da testa, que foi tratado antes de o comunicador embarcar para Orlando, nos Estados Unidos, no final de dezembro do ano passado. A informação foi divulgada pelo colunista que escreve sobre celebridades Daniel Castro.

De acordo com o jornalista, pessoas próximas a Silvio Santos informaram que o empresário foi curado e está com excelente saúde. Em janeiro, ele apareceu em fotos tiradas com fãs com uma cicatriz na testa que indica que a cirurgia foi realizada.

Câncer

Silvio Santos já sofreu com o câncer de pele. No final de 2013, o urologista Miguel Srougi retirou o tumor da perna direita do apresentador.

Publicidade
Publicidade

Segundo Silvio, em entrevista à revista Veja em 2014, era uma ferida, que virou um tumor e foi removida.

Antes disso, em 2013 também, o empresário retirou a próstata preventivamente. Câncer de próstata é um dos que mais acomete homens e recomenda-se que sejam feitos exames regulares depois dos 40 anos.

SBT

Dono do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), Silvio Santos já prepara a sucessão na empresa. Suas filhas assumirão o comando da emissora de forma oficial, com seus nomes constando como presidentes do canal criado por Silvio em 1981, ainda como TVS.

Silvio Santos não tem filho homem, mas envolveu suas filhas de tal forma na emissora que a estrutura montada pelo “Homem do Baú” nos últimos 30 anos seguirá firme e forte mesmo após a sua saída do SBT.

Há casos, como o que aconteceu com a extinta TV Manchete, que serviram de exemplo para Silvio Santos.

Publicidade

Depois que o empresário Adolpho Bloch morreu, todo o império que havia construído desmoronou, incluindo emissoras de rádio, TV e revista.

O SBT e as empresas do Grupo Silvio Santos não devem seguir o mesmo caminho e continuarão firmes e fortes mesmo estando em outras mãos que não a do homem que, do nada, construiu todo o império.

Ao que se sabe, a situação financeira do SBT hoje é bem melhor do que em anos anteriores, quando passou por crise, principalmente no início dos anos 2000, após a construção do Complexo Anhaguera.