A cantora #Daniela Mercury se envolveu em mais uma polêmica. No último dia do #Carnaval de Salvador (terça-feira, 28), a artista discutiu, de cima do trio, com policiais militares e convidados da corporação que estavam em um camarote localizado no centro da cidade. De acordo com o site Bahia Notícias, durante a discussão a "rainha do axé" perdeu a cabeça e mostrou o "dedo médio" aos policiais. Uma testemunha publicou em uma rede social um vídeo que mostra o momento de tensão entre a artista e as forças de segurança. Assista:

A acalorada discussão aconteceu porque Daniela Mercury encerrou seu desfile no carnaval de Salvador justamente em frente ao camarote da Polícia Militar da Bahia, que estava cheio de policiais militares, seus familiares e convidados.

Publicidade
Publicidade

Ao chegar ao local em que ficava o camarote, Daniela se despediu do público e parou de cantar. Inconformados em não ver a apresentação da artista, os policiais militares começaram a vaiá-la, o que irritou a cantora. Daniela então voltou ao alto do trio e iniciou uma discussão com os militares.

Versão da cantora

Daniela explicou ao Bahia Notícias que foi a organização do carnaval de Salvador que pediu para que ela encerrasse seu desfile naquele local. A organização pediu ainda que o trio fosse retirado da avenida para a passagem de outros blocos que vinham logo atrás, de acordo com a cantora. A assessoria de imprensa de Daniela complementou ainda que, ao ouvir as vaias, Daniela achou se tratar de uma briga e retornou ao alto do trio para ver o que estava acontecendo. Neste momento a artista começou a ser xingada pelas pessoas que estavam no camarote da PM.

Publicidade

"O trio já estava sendo desmontado e a mesa de áudio estava sendo desligada, mas ela pediu para ligar de novo e pegou o microfone para explicar às pessoas do camarote que tinha parado por orientação da organização do carnaval, e foi ainda mais agredida", afirma a equipe de Daniela. De acordo com a assessoria, Daniela fez questão de religar os equipamentos e fez um show exclusivo para os policiais durante cerca de 30 minutos.