“And I swear that I don't have a gun. No, I don't have a gun...”. Neste trecho da clássica música do #nirvana chamada “Come as You Are”, o vocalista #Kurt Cobain jurava que não tem uma arma. Porém, no dia 5 de abril de 1994, o cantor, então com 27 anos, fez uso da mesma para dar cabo à própria vida, pondo fim a uma das mais famosas bandas de #rock dos anos 1990.

Seu corpo foi encontrado somente três dias depois, e as circunstâncias de sua morte até hoje são temas de debate. Nesta quarta-feira (5), a morte do cantor completa 23 anos. Veja a música “Come as You Are”:

Kurt nasceu em 20 de fevereiro de 1967, em Aberdeen, no estado de Washington, nos Estados Unidos.

Publicidade
Publicidade

Apesar de ser filho de uma garçonete e um mecânico, outros parentes já tinham contato com a música. Segundo uma tia, ele começou a cantar com apenas 2 anos de idade e aos 4 já tocava piano.

Junto com amigos, fundou em 1987 o Nirvana, que veio a estourar apenas em 1991, com o lançamento do “álbum Nevermind”. O sucesso também acentuou os problemas de Kurt com depressão e seu vício em heroína.

Seu casamento com Courtney Love, da qual teve Frances Bean Cobain, sua única filha, oscilava entre ataques de fúria e declarações apaixonadas do cantor. O peso da fama era algo que ele ainda não estava preparado. Em boa parte de sua vida sofreu de bronquite crônica e de intensa dor física devido a uma não diagnosticada condição estomacal.

Buscando se livrar do vício, Kurt foi internado no final de março de 1994 em uma clínica de reabilitação, mas no dia seguinte fugiu do local e voltou para Seattle, onde frequentou diversos locais nos dias 2 e 3 de abril.

Publicidade

Courtney Love contatou um detetive para tentar achar o marido, mas foi um eletricista que havia ido até a casa do cantor instalar luzes de segurança que encontrou o corpo em 8 de abril, três dias depois de sua morte.

Ele estava com um ferimento na cabeça provocado por um tiro, e a espingarda usada no ato estava em cima de seu peito. Também foi encontrada uma carta debaixo de um vaso, que acredita-se que tenha sido escrita por ele antes de cometer o suicídio. “Melhor apagar do que queimar”, dizia um trecho.

A causa oficial da morte do cantor data pelas autoridades foi suicídio, mas não são raras as pessoas que lentavam outras teorias. O laudo apontou que se não fosse pelo tiro, Kurt morreria de overdose. Ali se encerrava a história da banda, mas seu legado segue até o presente e ainda influencia toda uma geração.