O cantor #Amado Batista, que fez muito sucesso no passado, foi o convidado de Fabio Porchat, na última terça-feira, 3. O apresentador ficou chocado ao ouvir de Amado que prefere a volta do regime militar, do que o país continuar a ‘anarquia’ que é atualmente.

O que surpreendeu mais o apresentador e o público que assistiu ao programa, é que Amado Batista admitiu ter sido preso e torturado durante a #Ditadura militar no Brasil.

Outra controversa que deixou muita gente sem entender o posicionamento do cantor, é que assim como ele foi vítima do regime militar e consegue desejar a sua volta, também afirmou, ser apoiador de #Jair Bolsonaro.

Publicidade
Publicidade

O fato é que Bolsonaro já declarou, mais de uma vez, que somente ‘vagabundos’ eram torturados durante o regime militar, também disse que não existiu uma ditadura, pois o povo 'era feliz' e que um pai de família não sofria repressão dos militares, apenas comunistas.

Essa não é a primeira vez que Amado declara seu apoio ao deputado federal, Jair Bolsonaro. O parlamentar do PSC tem vontade de ser candidato nas eleições de 2018, para o cargo de presidente da República, entretanto, o seu partido não o apoia na decisão e nenhum partido quem aceitá-lo para a disputa presidencial. Em 2014, Jair declarou que seria candidato, mas o seu partido, não o apoiou, mais uma vez.

Um pouco sobre Jair Bolsonaro

Apesar de ter grande apoio nas redes sociais, fora delas a popularidade de Jair Bolsonaro é baixa.

Publicidade

Além de não ter apoio de seus colegas na Câmara e nunca ter conseguido um projeto aprovado em quase 30 anos de carreira política, quando o parlamentar não avisa aos militantes que estará em um lugar para ser recebido, ele acaba passando por momentos constrangedores.

No dia da mulher, 8 de março, ele visitou um campus da universidade Mackenzie, uma das instituições de ensino privado mais caras do país. Na ocasião, os alunos, ao perceberem sua presença na universidade, começaram a hostilizá-lo.

Em fevereiro, uma universidade privada de Brasília, recusou a ministração de uma palestra do deputado. Recentemente, ao abordar o juiz federal, Sérgio Moro, Bolsonaro acabou saindo constrangido, pois o magistrado só o cumprimentou e o deixou falando sozinho. Dias depois do ocorrido, Jair declarou que prefere acreditar que Moro não o reconheceu, caso contrário, teria parado para conversar com ele.

E você, concorda com Amado Batista, de que o regime militar é bem melhor que os dias atuais? Compartilhe a sua opinião, deixando um comentário.