Após uma apresentação na cidade mineira de Conselheiro Lafaiete, na noite de sábado (15), o cantor Kid Vinil passou mal e está internado no Hospital e Maternidade São José. Segundo o site UOL, ele está em coma induzido. Nas redes sociais, chegou-se a falar que o músico, de 62 anos e que é diabético, sofreu uma parada cardíaca, fato negado por sua assessoria de imprensa.

Nascido na cidade de Catedral, no Interior de São Paulo, Antônio Carlos Senefonte, nome verdadeiro do artista, foi submetido a uma bateria de exames, mas os resultados devem sair apenas nesta terça-feira (18). Já existe uma mobilização para transferir o cantor e radialista para São Paulo.

Publicidade
Publicidade

Um produtor disse que Kid foi levado para o hospital consciente, mas desmaiou antes de chegar ao local. Ele começou a passar mal logo após o final da sua apresentação, que foi a primeira da noite, e atendido por uma enfermeira do próprio clube.

O produtor afirmou ainda que o estado de saúde do cantor, que está acompanhado de um irmão no hospital, é considerado estável. Um dos ícones dos anos 1980, quando esteve à frente dos vocais da banda Magazine, conhecida pelos hits “Tic-Tic Nervoso” e “Sou Boy”, Kid Vinil era uma das trações do Clube Dom Pedro II, que organizava a Festa Retrô.

Outros nomes da época, como Kiko Zambianchi e Ritchie, também se apresentariam, mas, após o ocorrido, a festa acabou sendo cancelada. O anúncio do encerramento do show foi dado pelo próprio Ritchie.

Carreira

Além de cantor, Kid Vinil também é radialista, compositor e jornalista.

Publicidade

Na década de 1980, foi o vocalista da banda Magazine, que dentre os sucessos destaca-se a música “Comeu”, tema de abertura da novela “A Gata Comeu”, exibida originalmente em 1985 e atualmente sendo reprisada pelo canal de TV por assinatura Viva. “Tic-Tic Nervoso” e “Sou Boy” são outras músicas famosas da banda.

Na TV, apresentou os programas Boca Livre e Som Pop, ambos da TV Cultura, e também foi um dos VJs da MTV, apresentando programas como Lado B, que exibia trabalhos de bandas alternativas. Também teve um programa na Bandeirantes chamado Mocidade Independente.

Em 2008, lançou o livro intitulado Almanaque do Rock, que relata a trajetória do ritmo desde a década de 1950 até o presente. Além de fazer shows, Kid Vinil tem um programa em uma rádio de São Paulo. Em 2015, ganhou a biográfica chamada “Um Herói do Brasil”, fruto de uma parceria entre o músico Duca Belintani e o jornalista Ricardo Gozzi. #Anos 80 #Festa Retrô #KidVinil