Posando para um belo ensaio sensual, a ex-sister e quinta colocada no Big Brother Brasil edição 17, #Marinalva também deu uma entrevista para o site #Paparazzo, quando falou de assuntos polêmicos como a eliminação de Marcos e sobre #Violência doméstica. Ela disse já ter sofrido e que consegue se colocar no lugar de Emilly.

Marinalva Almeida, quase chegou lá. Foi a última eliminada em paredões do BBB17. Saindo com uma alta rejeição, isso não afetou o emocional da gata, que, com “tudo em cima”, fez um ensaio sensual para o site adulto Paparazzo.

Em sua entrevista que recheará o site o breve, ela deu sua opinião sobre a eliminação do médico cirurgião Marcos Harter, eliminado por ter sido constatado, mesmo sem a denúncia da vítima, que agrediu fisicamente Emilly.

Publicidade
Publicidade

Sobre a expulsão, Mari disse que a atitude da emissora foi correta e que as regras são claras.

Violência dentro das dependências da casa mais vigiada do Brasil gera expulsão e foi o que aconteceu. Sobre Marcos, ela acredita que ele estava surtando dentro da casa e com um comportamento excessivamente agressivo. Marinalva ainda disse que temia que ele a agredisse. Por isso, não tinha uma postura mais incisiva com ele.

Ela ainda completou que consegue se colocar no lugar de Emilly, pois ela também foi vítima de violência doméstica e sabe como é difícil para a vítima se desvencilhar da situação. Disse que se viu acuada em muitos momentos quando era casada com o ex-marido e pai de seus dois filhos mais velhos.

Com o tempo, ela se disse mais forte a ponto de tomar uma decisão. Marinalva fugiu com seus dois filhos e se viu fora da situação.

Publicidade

Mas conta que foi uma decisão difícil, uma confusão de sentimentos. “Como que uma pessoa que diz que te ama, te agride?", se perguntava a paratleta.

Mari jamais comentou o assunto na casa para evitar a repercussão e se vitimar dentro da casa. Sobre a separação com ex-marido, ela disse que demorou a tomar a decisão, porque, além de todas as dificuldades, emoções, não queria que a mãe passasse por aquilo.

Ela sempre que fugia ia para a casa da mãe e acabava a envolvendo num assunto ruim. Seu marido sabia seu destino e ia até a casa da sogra e “entrava com tudo”. Por conta disso, ela não via uma saída muito clara para o assunto.

A fuga definitiva teve que envolver mudança de Estado. M Mari saiu de Mato Grosso do Sul e foi para longe, São Paulo, para recomeçar a vida longe do ex.

Ela ainda confessou que a maior motivação nem foram as agressões, mas o clima de guerra que seus filhos estavam vivendo e presenciando. Depois, ela fez questão que seus filhos voltassem a ter contato com o pai, que considera mais maduro agora.

Veja algumas fotos de divulgação de Marinalva para o site Paparazzo.