Enterro e velório normalmente são lugares tristes, em que família e amigos enlutados choram a morte de um ente querido. Neste ambiente, a bebida se limita a um cafezinho ou água e nada mais. Certo? Não para todo mundo.

O cantor Zeca Pagodinho concedeu entrevista exclusiva à jornalista #Leda Nagle, que foi mandada embora da TV Brasil meses atrás e agora mantém um canal no YouTube, e contou como são os velórios na sua família.

De acordo com Zeca, os velórios eram as melhores coisas que tinham antigamente. A jornalista, surpresa, tenta entender o comentário do sambista.

“Velório em Irajá era o melhor... até hoje, quando é da minha família, é o melhor que tem.

Publicidade
Publicidade

A gente bebe tudo que tem na capela ali na Santa Isabel, com todos os amigos lá nosso. O velório do meu pai foi um dos melhores que teve, tem uns dois, três anos. Foram 10 caixas de cerveja”, afirma Zeca.

“É mesmo?”, pergunta a jornalista, mais uma vez surpresa com as declarações do sambista. #Zeca Pagodinho diz que no velório de seu pai teve salgadinho, jogo de roda e tudo mais. Na sequência, o cantor explicou a caminhada durante os velórios. Eles passavam pela casa das tias de das primas de Zeca, com um detalhe: iam bebendo tudo o tinha pelo caminho. "No outro dia você não acha uma água mineral para tomar”, diz Zeca Pagodinho, arrancando risos da entrevistadora.

O pai do sambista famoso, Jessé da Silva, morreu de insuficiência respiratória, aos 87 anos, em março de 2015.

Parcerias

A entrevista é bem legal de se ver.

Publicidade

Zeca Pagodinho fala sobre Beth Carvalho, cantora que o lançou no cenário e também conta um pouco da parceria com Arlindo Cruz e Jorge Aragão quando o assunto é cantor e compositor.

Segundo o sambista, os cantores engoliram os compositores e Zeca não gostou disso. “Primeiro, porque eu não sei mexer em nada, (equipamentos eletrônicos) assim, gravar. Minha salvação é o Arlindo, quando eu vou na casa dele... e Jorge Aragão, que sabe gravar em celular. Se eu ligar pra ele e disser: ‘compadre, tô com uma primeira (parte do samba) aqui’, ele grava. Não sei como eles fazem isso. Eu não sei fazer essas coisas”, explica Zeca Pagodinho.

Canal

O bate-papo durou 16 minutos e pode ser visto na íntegra no final deste texto. Um dos sambistas mais famosos do Brasil, Zeca fala, entre outras coisas, sobre o início de sua carreira. O vídeo já foi visto por pouco mais de quatro mil pessoas. O canal de Leda Nagle tem 10,3 mil inscritos. Vale a pena conferir toda a entrevista.