Não é de hoje que a cultura machista doentia está entranhada no mais profundo das instituições e nos comportamentos de milhões de brasileiros, independente de suas formações sociais, crenças e valores. A realidade negativa não é diferente, por exemplo, no liberal meio televisivo entre os artistas e afins, o que pode ser melhor contextualizado com a grave denúncia de #Assédio sexual que veio à tona nos últimos dias, em que o veterano ator da #Rede Globo, #José Mayer, praticou contra a figurinista, também funcionária da Globo, Susllem Meneguzzi Tonani. Para piorar a situação, outra artista talentosa e linda, mas que, principalmente, é uma grande formadora de opinião, Letícia Sabatella, fez uma postagem na sua rede social oficial, revelando que não ficou nem um pouco surpresa com a suposta atitude condenável do colega de profissão e escreveu a seguinte frase opinativa sobre o ocorrido: “José Mayer não se emenda, hein?" e completou escrevendo para a vítima tais palavras: "Su Tonani, sinta-se apoiada em sua denúncia".

Publicidade
Publicidade

Susllem Meneguzzi Tonani, com 28 anos de idade, falou ao jornal “Folha de S. Paulo” em 31 de março, que Zé Mayer, que interpreta o malfeitor Tião, na novela das 21h, “A Lei do Amor”, não só tocou as suas partes íntimas sem consentimento, bem como a adjetivou de “vaca” na frente de outros colaboradores que estavam presentes no momento do proferimento da palavra.

De acordo com a moça, o assédio começou a se desenhar há cerca de oito meses, justamente quando Mayer foi integrado à equipe de atores da novela. Primeiro o veterano começou com elogios à beleza de Su, mas como não teve sucesso, começou a onda de insultos contra ela, com frases extremamente pejorativas, tais como: “como você se veste bem”, “como a sua cintura é fina” até quando ele disse: “fico olhando a sua bundinha e imaginando o seu peitinho” ou “você nunca vai dar para mim?”, completou Su.

Publicidade

Mesmo com Su ameaçando o ator de que ela iria ao departamento de recursos humanos da empresa, mas nem com tal tomada de atitude, a mulher conseguiu êxito que Mayer parasse com suas cantadas baratas, o que a levou a denunciar no mês de fevereiro de 2017, à mídia em geral, que o ator teve o desplante de tocar em sua região sexual.

As palavras são tão vexatórias que é impossível que alguém em sã consciência, ao ler ou ouvir as mesmas, não manifeste algum tipo de reação contrária ao comportamento hediondo do ator global, pois a trabalhadora relatou literalmente que “dentro do camarim da empresa, na presença de outras duas mulheres, esse ator branco, rico, de 67 anos, que fez fama como garanhão, colocou a mão esquerda da minha genitália (...) E disse que era um desejo antigo. Elas (as duas mulheres)? Elas, que poderiam estar em meu lugar, não ficaram constrangidas. Chegaram até a rir de sua ‘piada’. (...) Me vi sozinha, desprotegida, encurralada, ridicularizada, inferiorizada (...) Senti desespero, nojo, arrependimento de estar ali”.

Publicidade

Como se não estivesse satisfeito em humilhar dessa forma a moça que atua por detrás dos bastidores, o mesmo a chamou de “vaca” diante de mais de 30 pessoas, poucos dias depois. Foi a partir daí que a figurinista denunciou Mayer à emissora carioca, que se reservou a dizer que agiria pontualmente no assunto.

Vale destacar que após o texto de denúncia ter sido publicado na Folha, o periódico rapidamente tirou do ar as informações com detalhes do assédio sexual sofrido pela moça.