O Big Brother Brasil 2017 chegou ao fim nesta última quinta-feira (13) e sagrou a estudante gaúcha de 20 anos, Emilly Araújo, como campeã da 17ª edição do reality show produzido pela Rede Globo. Ela, que é gêmea de Mayla Araújo, foi a queridinha do público e, com 58% dos votos, levou o prêmio de R$1,5 milhão.

Bastante visada, dentro e fora da casa, a gaúcha agora se tornou assunto de polícia e prestou depoimento na Delegacia de Atendimento a Mulher (DEAM) de Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro, na manhã desta segunda-feira (17).

Intimada para comparecer à delegacia às 10 horas, a ex-BBB chegou às 10h07, acompanhada de Mayla e alguns seguranças.

Publicidade
Publicidade

Muito aguardada pelos jornalistas e fãs, que esperavam ansiosamente pela sua chegada, Emilly teve uma recepção que chamou a atenção. Ela que, atrasada, entrou rapidamente na delegacia, ouviu gritos de apoio, bem como de incentivo a reatar seu namoro com o ex-BBB Marcos, acusado de agredi-la durante o confinamento.

Dezenas de fãs, munidos de cartazes, permaneceram em frente à DEAM até às 13h29, momento em que Emilly deixou o local após ser interrogada pela delegada-titular Viviane Costa Ferreira.

Dentre as diversas pessoas e profissionais da mídia que aguardaram a saída de Emilly, esteve a funcionária pública Jacy Oliveira, de 68 anos, que faz parte do fã-clube da ex-BBB. Telespectadora assídua do reality desde o ano 2000, Jacy defende Marcos da acusação de agressão e é a favor de que o ex-casal sente, converse, resolva suas diferenças e fique junto.

Publicidade

Entenda o caso

Emily, que está entre as celebridades mais clicadas nos sites de busca, tornou-se uma das participantes mais polêmicas de todas as edições do BBB.

Ela, que durante o confinamento manteve uma relação amorosa com o cirurgião plástico Marcos Harter, de 37 anos, é tida agora como vítima de agressão por parte do namorado.

O fatídico episódio se deu durante a festa "Emoções", que aconteceu na casa do BBB e onde, com os nervos à flor da pele, Marcos disparou uma série de críticas à namorada, que, em dado momento, tentou se esquivar da presença do cirurgião e teve seus braços e pulsos forçados por ele.

Após a discussão, que aconteceu na madrugada de segunda-feira (10), Marcos foi expulso do programa. Fora da casa, ele foi ouvido, nesta última quarta-feira (13), pela delegada Viviane Costa Ferreira da DEAM.

O médico agora aguarda a decisão judicial que confrontará seu depoimento com o de Emilly, bem como os resultados do exame de corpo de delito pelo qual a gaúcha passou dentro da casa.

Caso seja condenado, Marcos poderá pegar uma pena que varia entre 1 a 3 anos de reclusão. #Emilly BBB17 #Emilly presta depoimento #Marcos e Emilly BBB